Associação Dinamizadora dos Interesses de Basto
Edição de 29-09-2014

Arquivo: Edição de 08-03-2010

SECÇÃO: Informação

Oitocentas crianças de Cabeceiras de Basto beneficiam do Regime Fruta Escolar

A Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto começou no início de Março, a distribuir fruta e produtos hortícolas às crianças que frequentam os estabelecimentos de ensino público do 1º ciclo deste concelho.
Trata-se de uma medida que vem dar resposta ao convite formulado pelo IFAP – Instituto de Financiamento da Agricultura e Pescas, que no âmbito da portaria nº124/2009, de 12 de Outubro, permite às Câmaras Municipais candidatar-se ao Regime Fruta Escolar instituido no âmbito da União Europeia. Uma vez aprovada a candidatura apresentada pela Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto, e cumpridos os procedimentos legalmente impostos, a fruta começou a ser distribuida às crianças que frequentam o 1º ciclo do ensino básico.
O objectivo desta iniciativa consiste, segundo informação divulgada, em promover hábitos de consumo de alimentos benéficos para a saúde das populações mais jovens e para a redução dos custos de saúde associados a regimes alimentares menos saudáveis, não substituindo, no entanto, programas já existentes como são a distribuição de leite escolar e de fruta nas refeições escolares.

Fruta distribuída a oitocentas crianças do 1º ciclo
Fruta distribuída a oitocentas crianças do 1º ciclo
O Regime Fruta Escolar permite ainda, o desenvolvimento de outras medidas de acompanhamento e de acções que visam promover o consumo de fruta pela população escolar e que estão a ser articuladas entre este Município e os estabelecimentos de ensino concelhios.

Crescimento equilbrado da população

O Regime Fruta Escolar, abrange os Agrupamentos de Escolas de Cabeceiras de Basto e de Arco de Baúlhe e vai beneficiar, até ao final do ano lectivo, mais de oitocentos alunos. A fruta distribuida gratuitamente, duas vezes por semana, obdecerá criteriosamente aos regimes públicos de qualidade certificada de produção integrada, de produção biológica, de denominação de origem protegida, de indicação geográfica protegida ou de protecção integrada, com vista à distribuição de produtos realmente saudáveis e de qualidade.
Esta é mais uma medida à qual a Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto aderiu, por entender que uma alimentação correcta e regrada é um factor essencial para o crescimento equilibrado e saudável das populações mais jovens deste concelho. Uma medida que indirectamente contribuiá para reduzir despesas associadas a regimes alimentares incorrectos, e simultaneamente, mudar mentalidades e investir na saúde através da prática de hábitos alimentares saudáveis, numa época onde se registam cada vez mais distúrbios alimentares, tais como bulímia, anorexia, entre outros, com incidência, sobretudo na população juvenil.

© 2005 Jornal Ecos de Basto - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital. Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.