Associação Dinamizadora dos Interesses de Basto
Edição de 29-09-2014

Arquivo: Edição de 25-01-2010

SECÇÃO: Última Página

XIV Festa da Orelheira e do Fumeiro
De 12 e 15 de Fevereiro de 2010

Ao longo dos últimos anos, o sector industrial e dos serviços adquiriu maior importância no concelho de Cabeceiras de Basto. No entanto, a economia rural e de subsistência não perdeu peso, bem pelo contrário, passou a ter mais relevância na economia familiar.
Os Cabeceirenses têm sabido criar sinergias entre a tradição e as novas tecnologias. A produção de enchidos, alheiras e fumeiro desta região, mantem os sabores e saberes ancestrais e anualmente, além de dinamizar a economia local, promovem o concelho, os usos e costumes desta gente de Basto.

foto
A matéria prima do afamado fumeiro, são os porcos de raça bísara. Uma raça autóctone desta região, cujo crescimento em espaço livre, entre as serras da Cabreira e do Barroso, garante uma carne macia e saborosa, com pouca gordura, que por tradição e qualidade é totalmente aproveitada. Assim, surgem pratos característicos, utilizando na sua confecção a orelheira, o pernil, o presunto, as costelas, as chouriças de carne e de sangue, a alheira, etc. Estas iguarias podem provar-se durante a Festa da Orelheira e do Fumeiro, que o concelho promove anualmente, no Pavilhão Desportivo desta vila Cabeirense. Um certame que se realiza de 12 a 15 de Fevereiro e no qual serão ainda comercializados produtos como o vinho verde da região, o azeite, a broa e o mel.
De referir que anualmente, todos os animais que dão origem ao fumeiro que se apresenta neste certame, são vistoriados, durante o seu crescimento pelos Fiscais de Higiene e de Salubridade e pelo Veterinário Municipal. Estes só podem ser expostos e consumidos, após novo controlo levado a cabo pelos profissionais acima referidos.
A festa da Orelheira e do Fumeiro, que este ano vai na XIV edição, integra ainda um programa de animação variado (ver caixa), bem ao gosto popular, onde não falta o folclore, as concertinas e os cantares ao desafio.
O artesanato, representado pelos trabalhos em lã, em linho, em madeira e em latoaria também estará presente neste evento que anualmente atrai ao concelho milhares de forasteiros, que em época de Carnaval aqui se deslocam para um verdadeiro passeio gastronómico.
Cinquenta, é o número de expositores confirmados, que aproveiram este certame para comercializar os seus produtos sujeitos a rigorosas condições de qualidade, quer de bem-estar quer de higiene, para receber os milhares de visitantes que anualmente visitam esta Festa da Orelheira e do Fumeiro.

© 2005 Jornal Ecos de Basto - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital. Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.