Associação Dinamizadora dos Interesses de Basto
Edição de 29-09-2014

Arquivo: Edição de 04-01-2010

SECÇÃO: Correio do Leitor

Cartas ao Director

Cacém, 18/12/2009

Ex. ma Senhora Dona Benvinda T. Magalhães, Digníssima Directora de Ecos de Basto:

Escrevo-vos todos os anos por esta altura, para vos desejar um Feliz Natal e um Novo Ano cheio de tudo que é bom, bem assim para quantos com denodo, trabalham neste nosso Jornal.
Todos nós, em trezentos e sessenta e cinco dias, fizemos uma viagem de um milhão e trezentos mil quilómetros à roda do sol. Esta, acabada, preparemo-nos para encetar outra, sem sabermos se a completamos. A nossa Galáxia lá se vai movimentando através do Universo a uma velocidade um pouco menos do que a da luz.
Ela, lá leva o nosso sol e com ele lá vão os nove Planetas um dos quais nos pertence.
Por isso, sem nós darmos conta, somos viajantes do Espaço sem contudo nos apercebermos de tal façanha. Vivo no Cacém há sessenta anos mas o meu coração mora aí.
Oh, como me lembro dos tempos do Jornal de Cabeceiras, do qual fui seu ardina, cujo Director era o lisboeta José Salreta, homem culto, que um dia trocou a Capital por essa melancólica terra.
Fundou o Jornal de Cabeceiras, cuja Redacção e feitura, era na Quinta da Mata, feito num prédio rudimentar. A entrega era de porta em porta.
O primeiro assinante era o seu vizinho Paulino de Sousa e Silva. E, eu com um molho de jornais debaixo do braço calcurriava descalço toda a Vila indo acabar na Raposeira na casa do Joãozinho do Correio.
O meu pré eram dez tostões, uma fatia de pão de milho amarelo e um copinho de vinho americano.
Naquele tempo, o Jornal de Cabeceiras só tinha uma folha à qual o povo mais maroto chamada folha de couve.
Hoje, infelizmente, temos um Jornal que não se envergonha de concorrer com os melhores da Capital, tal como o Diário de Notícias, Correio da Manhã, Jornal de Negócios, o Diabo, os graciosos ou os Desportivos.
V. Senhoria Dona Benvinda, vem dirigindo o nosso Jornal Ecos de Basto com amor e proficiência.
Continue por favor, pois nem sempre os dirigentes seja de um Jornal, agremiação ou qualquer Directoria tem a vida facilitada e, quase sempre quem nos acusa, coisa singular! São os incapazes! Enquanto V. Senhoria dirigir o Embaixador da nossa terra, auguro-vos grandes cometimentos para o nosso Jornal que nos alegra quando nos chega às mãos.
Sem mais aceite Dona Benvinda os meus cumprimentos de Boas Festas, extensivas como atrás digo, a todos os que fazem esse Jornal, não esquecendo os seus Colaboradores. Sou o Vosso conterrâneo, assinante e amigo dessa terra que também é minha à qual tenho presa a minha alma.

Jaime Sousa e Silva

© 2005 Jornal Ecos de Basto - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital. Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.