Associação Dinamizadora dos Interesses de Basto
Edição de 29-09-2014

Arquivo: Edição de 02-11-2009

SECÇÃO: Informação

Um ano após a abertura da galeria
Museu Terras de Basto apresenta nova exposição de fotografia

Uma das fotos que integram esta exposição
Uma das fotos que integram esta exposição
Um ano após a abertura do novo espaço expositivo no salão «Viajar, Viajar» do Museu Terras de Basto, dedicado à fotografia, Sara Fernandes é a autora da colectânea de fotos que aquele equipamento cultural apresenta ao público a partir de 7 de Novembro e até Fevereiro de 2010. O trabalho desenvolvido teve como tema de fundo os comboios e como cenário aquela bela estação ferroviária, agora transformada em Museu, localizada em Arco de Baúlhe, deste concelho. Respondendo ao desafio lançado pelo Museu, esta talentosa “fotógrafa” cabeceirense, com 17 anos de idade, amadora, deu corpo a um trabalho desenvolvido com grande profissionalismo. A pesquisa efectuada, numa abordagem a diferentes épocas reveladoras de diferentes formas de trajar, a selecção das modelos, a preparação das sessões fotográficas realizadas nos seus tempos livres, por vezes aos fins-de-semana, revelaram a entrega a este trabalho revestido de grande sensibilidade artística.

foto
Uma jovem dinâmica e empreendedora

Encontrando-se a frequentar o 12º ano de escolaridade na área de línguas e humanidades, esta jovem ambiciona seguir arquitectura paisagística ou ciência de comunicação como áreas profissionais. Determinada e trabalhadora, apresenta no seu currículo a realização de diversas actividades. Gosta de desenhar, fazer trabalhos manuais, adora história e gosta de viajar. Já praticou dança e actualmente dedica-se ao teatro. Dos projectos realizados destaca-se a criação do logotipo do gabinete de saúde do Externato S. Miguel de Refojos – estabelecimento de ensino que frequenta – participou no concurso “entre palavras” organizado pelo Jornal de Notícias e tem marcado presença no Festival de Música Moderna do Arco com a apresentação de trabalhos por si elaborados. Para 2010, já tem prevista a realização de uma exposição de pintura no Externato S. Miguel de Refojos.
A "fotógrafa" numa das sessões levadas a cabo em vários locais do Museu
A "fotógrafa" numa das sessões levadas a cabo em vários locais do Museu

Um Museu onde as «pessoas contam»

foto
A caminho dos seis anos de existência, o Museu Terras de Basto vai cumprindo também, desta forma, a missão pela qual foi criado, captando novos públicos e atraindo mais amigos, que diariamente embarcam directa ou indirectamente nesta viagem pelo conhecimento, seja ao passado, seja ao presente, lançando igualmente um olhar crítico sobre o futuro.
A promoção deste tipo de iniciativas confere dinâmica aos espaços museológicos, aproximando-os das pessoas e colocando o seu espólio ao «alcance das mãos», através da utilização de uma maior variedade de canais de comunicação. O Museu Terras de Basto, apresenta-se por isso, como um projecto museológico que partilha com a comunidade experiências positivas e inovadoras, envolvendo-a e transportando-a, tal como referido, para viagens de conhecimento assentes no passado e projectadas no futuro.
Recorde-se que desde a sua abertura em 2004, este Museu, instalado numa antiga estação ferroviária, já recebeu a visita de milhares de pessoas de vários pçontos do país, reflexo da dinâmica que o Município incrementou neste projecto cultural, ao investir inicialmente cerca de um milhão de euros e consequentemente, ao manter a conservação e manutenção permanente, ao assegurar a sua abertura de forma graciosa, ao promover exposições temporárias, entre outras acções, que o apresentam como único Museu Municipal numa vasta região.
Uma viagem às profissões de antigamente está patente ao público no salão "Vamos à aldeia"
Uma viagem às profissões de antigamente está patente ao público no salão "Vamos à aldeia"
Um Museu que alcançou em 2005, a Menção Honrosa para o Melhor Museu Português, atribuida pela Associação Portuguesa de Museologia e que tem em curso um processo de candidatura à Rede Portuguesa de Museus, visando a sua credenciação.
De referir ainda que em simultâneo decorre neste Museu, no espaço «vamos à aldeia» a exposição anual subordinada ao tema «Profissões de Antigamente – uma viagem pelas memórias de trabalho em Cabeceiras de Basto». Ambas podem ser visitadas de Terça a Domingo, das 9h00m às 12h30m e das 14h00m às 17h30m.

Reservas: Um espaço guardião das memórias desta terra de Basto
Reservas: Um espaço guardião das memórias desta terra de Basto
Reservas abertas ao público

O Museu Terras de Basto, abriu este ano, o espaço dedicado às Reservas. Acolhidas em dois “vagões” colocados nos carris daquela antiga estação ferroviária, reflectem o crescimento e a importância deste equipamento. O espaço das Reservas completa assim, as valências deste museu do Século XXI, com o dever de conservar, inventariar, documentar e estudar o património cultural existente, dando início à intervenção no património, seja nos têxteis, seja nos metais/ferroviário e de objectos de uso local de que este espaço é detentor.
Representa por isso, o começo da instalação de vários “vagões”, guardiões das memórias deste povo, que servem para honrar e preservar o património de Cabeceiras de Basto, já que os objectos que possuí transportam vivências de pessoas e de artefactos, em suma pedaços da história desta terra de Basto.
De referir ainda que as Reservas poderão ser igualmente visitadas, de acordo com os horários estabelecidos e fazem parte de um projecto maior a que dão corpo uma equipa motivada, competente e trabalhadora.

© 2005 Jornal Ecos de Basto - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital. Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.