Associação Dinamizadora dos Interesses de Basto
Edição de 29-09-2014

Arquivo: Edição de 21-09-2009

SECÇÃO: Informação

Casa da Cultura apresenta “Joaquim Santos In Memoriam”

Na passagem do primeiro aniversário da sua morte, a Casa Municipal da Cultura de Cabeceiras de Basto apresenta ao público de 16 de Setembro a 16 de Outubro, a exposição biográfica subordinada ao tema “Joaquim dos Santos In Memoriam”.

foto
Trata-se de uma exposição organizada pelos alunos do primeiro e segundo ano da Licenciatura em Música da Universidade do Minho, que proporciona uma visão geral sobre a vida e a obra deste compositor Cabeceirense, cuja grandeza artística, ganhou notoriedade aquém e além fronteiras.
Nesta exposição estão retratados o seu ambiente familiar, a formação religiosa e musical, a relação com o seu mestre Manuel Faria, o lado do compositor e pedagogo, a sua discografia, as obras editadas nas revistas de música sacra, a relação com a Banda Cabeceirense e com o Coro da Igreja de S. Miguel de Refojos, bem como, outras facetas deste conhecido compositor, genial na criação artística do campo musical e instrumental, cujo percurso de vida é mostrado aos Cabeceirense. Isto porque, o Padre Dr. Joaquim dos Santos, era “um homem simples no seu viver, um cidadão honesto e cumpridor, um padre humilde e desprendido, para além de ter sido um professor dedicado e carinhoso», de grande discrição, que a Autarquia Cabeceirense considerou como «um músico e compositor brilhante e genial», «um Cabeceirense exemplar e raro que trouxe, traz e continuará a trazer grande prestígio e honra a Cabeceiras de Basto» e a quem decidiu homenagear em 1999, atribuindo-lhe a Medalha de Ouro de Mérito Concelhio e em 9 de Julho de 2009, atribuindo o seu nome ao novo edifício do Centro Escolar de Refojos de Basto, já em funcionamento.
foto

Músico e compositor genial

De referir, que Joaquim Gonçalves dos Santos, nasceu em Cabeceiras de Basto, em 13 de Abril de 1936. Filho e neto de exímios tocadores de guitarra, flauta transversal e harmónica, cedo despertou para a música. Estudou no Seminário de Braga e logo após a sua ordenação sacerdotal foi nomeado professor de música, frequentando simultaneamente o Conservatório da cidade nas áreas da Composição, Solfejo e Canto.
Mais tarde, estudou em Itália tendo-se licenciado em Canto Gregoriano e Composição e completado os Cursos de Órgão e de Direcção e Interpretação Polifónica.
Desde muito jovem se dedicou à composição e os seus trabalhos para órgão, piano, violino, dois pianos e coro, oratório para cinco solistas, coro e orquestra, piano e orquestra, violino e orquestra, clarinete e orquestra de sopros, violoncelo e orquestra de sopros, entre outros, deram origem a inúmeros concertos nas salas do Pontifício Instituto di Musica Sacra, em Roma.
Regressado a Portugal exerceu a sua actividade musical no Seminário Conciliar de Braga e depois no Colégio Arquidiocesano de Cabeceiras de Basto – Externato de S. Miguel de Refojos, bem como, na Escola EB 2,3 de Cabeceiras de Basto. Foi professor de muitos Cabeceirenses a quem incutiu o gosto pela música. Leccionou ainda, na Escola Superior de Fafe, no Instituto Superior de Teologia de Braga e no Seminário Diocesano de Braga. Foi também orientador de Estágios de inúmeros Professores de Educação Musical.
foto
A sua produção é abundante e variada, tocando os vários sectores da arte musical, desde a recolha e harmonia de canções populares, passando por canções didácticas para piano e/ou instrumentarium Orff, composições para banda, coro e banda, música de câmara, até à música sinfónica e coral-sinfónica.
O Padre Doutor Joaquim Santos produziu assim, uma vasta obra apreciada a nível nacional e internacional. Colaborou de uma forma muito dedicada com a Banda Cabeceirense da qual foi dirigente, assumindo mesmo, em determinada altura, a condição de maestro tendo ensaiado e dirigido actuações. Foi também o compositor das peças musicais que orquestrou e a que juntou as vozes, interpretadas pela Banda nas missas.
foto
Trata-se por isso, de um ilustre Cabeceirense que contribuiu grandemente para o desenvolvimento educativo do concelho e que, em vida, muito honrou, continuando a honrar, após a sua morte, através da obra que deixou, esta terra de Basto.
De referir ainda que estas distinções da Câmara Municipal, assim como a apresentação de uma exposição alusiva à vida e obra deste Cabeceirense, está associada também a outras acções já realizadas no concelho durante este ano e apoiadas pela Autarquia, no âmbito da comemorações do primeiro aniversário da sua morte.
A exposição «Joaquim dos Santos in Memoriam» pode ser visitada de Segunda a Sexta, das 9h00m, às 12h30m e das 14h00m às 18h00m, naquele espaço cultural Cabeceirense.

© 2005 Jornal Ecos de Basto - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital. Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.