Associação Dinamizadora dos Interesses de Basto
Edição de 29-09-2014

Arquivo: Edição de 31-08-2009

SECÇÃO: Política

Recordações Decoradas
Casebres Doirados

Vivo além no meu casebre onde
cheira a rosmaninho, onde nasceram
os meus pais, os rouxinóis fazem os ninhos,
foi lá que aprendi a rir, a trabalhar
e sonhar sacio-me sempre entre cantigas
e volto sempre a cantar,
dizem que no meu casebre tudo
aparenta pobreza, que importa o
que me dizem para mim é tudo riqueza.
Quando o sol nasce no outeiro cheio
cheio de ouro, alegria vem ter logo
ao meu telhado para me dar os
bons dias.
Eu não troco o meu casebre por
um palácio dourado que não
cheira a rosmaninho, nem tem
ninhos no telhado.

Por Maria dos Anjos Leite

© 2005 Jornal Ecos de Basto - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital. Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.