Associação Dinamizadora dos Interesses de Basto
Edição de 29-09-2014

Arquivo: Edição de 18-05-2009

SECÇÃO: Política

Rede Portuguesa de Museus Visita Cabeceiras de Basto

Nos dias 20 e 21 de Abril passado, duas técnicas da divisão de qualificação e credenciação da Rede Portuguesa de Museus visitaram Cabeceiras de Basto, para se inteirarem do trabalho desenvolvido no Museu Terras de Basto, em Arco de Baúlhe, assim como no recém inaugurado Núcleo Museológico do Baixo Tâmega, no Mosteiro S. Miguel de Refojos. O principal objectivo foi a apresentação destes dois espaços culturais existentes no concelho, assim como o projecto museológico e de arquitectura das futuras reservas, do Museu Terras de Basto, o qual foi alvo de apreciação e discussão.
Com o convite formulado, e segundo conseguimos apurar, a Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto, dá inicio ao processo de credenciação deste Museu na ânsia de, em breve, poder dar o seu contributo para o enriquecimento da Museologia Nacional.
A Rede Portuguesa de Museus é um sistema de mediação e de articulação entre entidades de índole museal, tendo por objectivo a promoção da comunicação e da cooperação, com vista à qualificação da realidade museológica portuguesa. Esta estrutura que foi criada na dependência do Instituto Português de Museus pretende a valorização e a qualificação da realidade museológica nacional; a cooperação institucional e a articulação entre museus; a descentralização de recursos; o planeamento e a racionalização dos investimentos públicos em museus; a difusão da informação relativa aos museus; a promoção do rigor e do profissionalismo das práticas museológicas e das técnicas museográficas; o fomento da articulação entre museus.

No Núcleo Museológico do Baixo Tâmega
No Núcleo Museológico do Baixo Tâmega
Projectos em curso agradam representantes da RPM

Ao que apuramos, as técnicas que visitaram os espaços referidos manifestaram surpresa e agrado pelos projectos museológicos em curso neste concelho, ficando agradavelmente surpreendidas com os mesmos, assim como com o impulso municipal dado à cultura em Cabeceiras de Basto, o que permite a manutenção e/ou abertura de novos espaços museológicos e desta forma, disponibiliza o património concelhio, seja sacro, seja popular e/ou etnográfico, à sua população e a todos os visitantes. As técnicas constataram a qualidade dos projectos e a importância do património existente, que é inequívoca, a que se associa toda uma estratégia desenvolvida no sentido de abrir os museus às pessoas, respeitando as regras de inclusão e os diferentes públicos a quem são dirigidos programas específicos de conhecimento.

Visitas superam média

Fruto da visão municipal e do trabalho desenvolvido é possível contabilizar hoje, após 5 anos de existência do Museu Terras de Basto, cerca de 30 mil visitantes provindos não só deste concelho, como de vários pontos do país. Também o Núcleo Museológico do Baixo Tâmega, no Mosteiro S.Miguel de Refojos, cuja abertura foi recente, há 5 meses , já recebeu mais de 1.222 visitantes, colocando estes equipamentos com uma média de visitas superior às médias dos museus municipais, seja nesta região, seja a nível nacional.

© 2005 Jornal Ecos de Basto - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital. Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.