Associação Dinamizadora dos Interesses de Basto
Edição de 29-09-2014

Arquivo: Edição de 23-02-2009

SECÇÃO: Desporto

O desporto visto por António Simões

Mais de oitenta pessoas, entre jovens, atletas, dirigentes desportivos, autarcas e público em geral, deslocaram-se no dia 6 de Fevereiro, ao Auditório Municipal Ilidio dos Santos, para ouvir falar António Simões sobre o desporto na actualidade. Uma iniciativa promovida pela Associação de Apoio aos Deficientes Visuais do Distrito de Braga com o apoio da Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto, por ocasião do 13º aniversário daquela colectividade.

Vários atletas e dirigentes foram ao Auditório ouvir António Simões
Vários atletas e dirigentes foram ao Auditório ouvir António Simões
Incidindo a sua intervenção, sobretudo no futebol, modalidade que praticou, o ex-jogador do Sport Lisboa e Benfica e da Selecção Nacional, António Simões, começou por realçar as enormes diferenças registadas, sobretudo ao nível da componente técnica. Considerou que hoje, o jogador de futebol é um atleta, cujo desempenho é melhor que qualquer jogador do seu tempo. Diferentes também são os materiais utilizados, o tipo de alimentação efectuada, entre outros factores que outrora dificultavam o aproveitamento de todo o potencial dos desportistas.
Ao nível do jogo, António Simões considera que houve uma evolução enorme. A componente física dos jogadores, a rapidez de movimentos, entre outros, contribui para que o jogo se desenvolva cada vez mais num espaço concentrado do relvado. Para o extremo esquerdo do Benfica, “hoje fazem-se cada vez mais jogadores e nascem cada vez menos jogadores”.

Desporto e formação

Na oportunidade, António Simões, referiu-se ainda aos negócios no mundo do futebol. Apesar de nada ter contra o dinheiro que hoje envolve esta modalidade, não tem grande apreço pela ganância que por vezes se sobrepõe à prática desportiva. A este propósito teceu críticas aos empresários, cuja postura, em alguns casos, não dignifica o futebol, prejudicando por vezes os próprios jogadores.
António Simões falou sobre o desporto ontem e hoje
António Simões falou sobre o desporto ontem e hoje
António Simões falou igualmente da paixão pelo futebol, referindo no entanto, que falta uma cultura desportiva. A paixão passou a ser apenas clubística, realçando ainda o facto de haver muita gente a falar de futebol que não têm uma cultura desportiva que no seu ententer, deve ser transmitida às gerações vindouras. Para este jogador, é necessário haver ética. “Tem que se saber ganhar, saber perder e respeitar princípios intocáveis na formação dos jovens”.
Terminou dizendo que o desporto em Portugal evoluiu extraordinariamente, não só no futebol como em outras modalidadades, cujos êxitos alcançados contribuem para projectar Portugal. Há no entanto, ainda muito a fazer, deixando um apelo aos dirigentes no sentido de “servirem o desporto e de criarem condições para praticar e enaltecer o desporto”.
Interpelado pelo público presente, António Simões, manifestou a sua preocupação ao nível da formação dos jogadores portugueses, nomeadamente ao nível das regras e dos critérios de seleccção. “Se os nossos jovens têm qualidade, então merecem uma oportunidade”. Tem que haver critérios para que se possa ser um profissional de futebol. Os jogadores têm que ter qualidade, disse.
Aos jovens presentes, deixou um conselho: o de jogarem futebol com paixão e simultaneamente, criarem condições para que sejam independentes no futuro. Não devem descurar os estudos e a sua formação académica.
A arbitragem, o tráfego de influências, o papel dos dirigentes desportivos e dos treinadores foram também aflorados nesta conferência, que o edil Cabeceirense, Engº. Joaquim Barreto, considerou de grande importância, já que permitiu partilhar com jogadores, dirigentes, adeptos da modalidade e público presente, um olhar balizado pela experiência de uma vida dedicada ao futebol e à prática desportiva.

© 2005 Jornal Ecos de Basto - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital. Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.