Associação Dinamizadora dos Interesses de Basto
Edição de 29-09-2014

Arquivo: Edição de 23-02-2009

SECÇÃO: Opinião

Minha Amada

Passa uma hora outra hora
Sinto passadas lá fora
Continuo a sua espera
Vejo através da vidraça
A humilde gente que passa
Vê-la agora quem me dera

Saiu um dia a tardinha
Da nossa velha casinha
E nem de mim se despediu
Eu já perguntei por ela
Mas essa mulher tão bela
Nunca mais ninguém a viu

Meu coração que palpita
Cá dentro a alma grita
Meus suspiros são constantes
Gostava de a ver voltar
E de com ela falar
E ser tudo como antes

Tenho-a na minha mente
Guardala-ei para sempre
Jamais a posso esquecer
Para onde foi? Não sei
Foi ela que mais amei
E amarei até morrer

Agora pelo Natal
Talvez me escreva um postal
E me diga que está bem
Que me diga que é feliz
Que foi Deus que assim quis
E eu serei feliz também.

Fernando Carvalho

© 2005 Jornal Ecos de Basto - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital. Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.