Associação Dinamizadora dos Interesses de Basto
Edição de 29-09-2014

Arquivo: Edição de 02-02-2009

SECÇÃO: Opinião

Barragem de Fridão – Uma Oportunidade

Há sempre alguém que gostava de ter sol na eira e chuva no naval. Mas essa possibilidade não é concretizável. E ainda bem, porque, a não ser assim, seria muito difícil entendermo-nos sobre o que melhor serviria o interesse geral. Qualquer que seja o projecto terá sempre prós e contras. Mas, o que mais interessará é procurar encontrar o equilíbrio, colocando no prato da balança os aspectos positivos dum lado e, do outro, os aspectos negativos e saber depois o que melhor serve o interesse das populações, da região, do país, do planeta.
A barragem de Fridão, a construir no rio Tâmega, pela EDP Produção, próximo da cidade de Amarante, até 2016, terá uma potência nominal na rede de 250 mega watts e produzirá energia superior às necessidades da população dos concelhos de Amarante, Cabeceiras de Basto, Mondim de Basto, Celorico de Basto e Ribeira de Pena. Para além desta característica, que por si só é já muito importante, a albufeira abrangerá o território dos concelhos referidos, esperando-se que apareçam os empreendedores que façam deste projecto uma oportunidade para desenvolver as Terras de Basto. Se temos no país um recurso natural magnífico, a água, e se temos uma orografia favorável ao aproveitamento desse recurso, através das barragens, o que se pergunta é: por que razão não aproveitamos anteriormente esta possibilidade? A nossa dependência energética há muito deveria ter levado os responsáveis a decidirem avançar com projectos desta natureza. Por outro lado, há muito tempo poderíamos estar a contribuir para a redução de emissão de CO2. Por isso, não sejamos fundamentalistas e procuremos tirar partido de todas as formas possíveis de criação de riqueza à volta deste empreendimento.

MM

© 2005 Jornal Ecos de Basto - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital. Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.