Associação Dinamizadora dos Interesses de Basto
Edição de 29-09-2014

Arquivo: Edição de 22-12-2008

SECÇÃO: Cultura

- Que quentinho o meu cachecol de lã de Bucos!

Quando falamos de cachecol, para os /as mais jovens, pode aparecer logo a imagem dos cachecóis das claques - futebolísticas ou outras.
Mas não, não é verdadeiramente desse tipo de cachecóis de que estamos aqui a falar.
É mais daqueles que lembram os abraços dos nossos amigos quando nos desejam dar sinais de afecto, de preocupação ou de ternura- como aqueles que recebemos agora, nesta época - com muitos votos de boas festas!

foto
Falamos daqueles que sempre recordamos quando saíamos cedo para a escola ou para o trabalho, e quase nos enfiávamos neles para só deixar o nariz de fora, a fugir do frio e da chuva, da geada e da neve.
Outros tempos mas também tempos de agora.
Mas antes de vos falar dos cachecóis de lã de Bucos, sabiam que esta palavra é de origem francesa?
“Cacher”, com o significado de esconder ou ocultar e “col”, de colo ou pescoço.
O cachecol foi o pai da gravata e há muitas histórias sobre essa questão, mas não é para hoje.
Falemos, então da lã- da ovelha Linda e do carneiro Vaidoso- que pastam lá por Bucos.
Porque receber um cachecol de lã é um privilégio, garanto-vos!
É um dos acessórios mais charmosos do vestuário de inverno; com grande variedade de cores e modelos, enrolados no pescoço ou lançado sobre os ombros, com laços mais apertados ou de pontas caídas, geralmente feitos de tecidos mais ou menos pesados mas os de lã foram sempre os mais eleitos: o frio não entra(va)!
- Como se fazem , ainda hoje, em Bucos?
Normalmente com 2 agulhas, nºos 4 ou 3 1/2, com 22 ou 25 pares de malhas.
Lisos ou canelados, entrançados ou de grades, como as meias, ou seja, com imensas possibilidades de motivos trabalhados, como, por exemplo,com o ponto inglês, ou seja, canelado dobrado .
Os cachecóis podem ser de fio de lã branca ou preta/castanha ou matizados, um fio de cada cor; podem ter riscas, remates simples ou com franja.
- Quando tempo para o fazer?
Uma semana com poucas horitas ao serão, um dia a sério para um cachecol de 1 metro ou 1, 5 m.
Se lhe parecer que pica, não deixe de o usar; faça como se deve fazer com tudo na vida- dê uma segunda oportunidade- e vai ver que resulta!
A lã amacia e o calor que conserva é único!
Tem a marca da Natureza.
Claro que em Bucos , as Tecedeiras fazem de todos os tamanhos e feitios e as encomendas não demoram a ser respondidas.
Porque acreditamos que vale a pena dar lugar ao que é nosso, já compusemos o Pai Natal com um belo par de meias de lã...
Segredaram-me que estava a ficar rouco e que o Ho! Ho! Ho! não lhe saía com a mesma força.
Porque queremos que consiga dizer o nome de todas as crianças do Mundo que o aguardam ( também há adultos ...), enviámos-lhe um cachecol branco, canelado, com risca preta , com remate simples.Parece que lhe fica bem.
E pronto, aqui ficou mais um pretexto para valorizar o Património de Cabeceiras de Basto,
Ofereça com gestos de ternura o que é nosso.
Ficamos todos mais ricos!
A marca já se sabe, é BUCOS!


Ana Paula Assunção
contactar Posto de Turismo em Cabeceiras de Basto

© 2005 Jornal Ecos de Basto - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital. Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.