Associação Dinamizadora dos Interesses de Basto
Edição de 29-09-2014

Arquivo: Edição de 22-12-2008

SECÇÃO: Política

CERCA DE UM MILHAR DE PESSOAS PARTICIPARAM EM JANTAR COMEMORATIVO DO 15.º ANIVERSÁRIO DA VITÓRIA DO PS

Dr. Vieira da Silva marcou presença
Dr. Vieira da Silva marcou presença
Decorreu no passado dia 12 de Dezembro, no Pavilhão Gimnodesportivo de Refojos, em Cabeceiras de Basto, um jantar comemorativo da vitória do PS para a autarquia cabeceirense, nas eleições autárquicas de 1993. Participaram cerca de um milhar de pessoas representando todos os quadrantes da sociedade cabeceirense, desde agricultores, comerciantes, empresários, professores, funcionários públicos, estudantes, entre outros. Estiveram presentes o Eng.º Joaquim Barreto, Presidente da Câmara Municipal, o grande protagonista dos 15 anos de poder autárquico, o Presidente da Câmara Municipal de Guimarães, Dr. António Magalhães, também ele um Cabeceirense, entre muitos outros convidados vindos de todo o distrito.
Presença muito aplaudida foi a do Dr. José Vieira da Silva, dirigente nacional do PS, candidato a deputado à Assembleia da República pelo distrito de Braga e que desempenha actualmente altas responsabilidades no Governo da Nação, enquanto Ministro do Trabalho e da Solidariedade Social. Na oportunidade, o Dr. Vieira da Silva afirmou: «em Cabeceiras de Basto é bem visível o trabalho feito nos últimos anos, fruto de uma ideia e de uma equipa liderada pelo Eng. Joaquim Barreto, que tão bem tem sabido conciliar a ideia com essa equipa». E acrescentou: «admiro o Eng. Barreto enquanto homem, cidadão, socialista e político, porque é um homem com visão de futuro, um homem persistente, um homem determinado, um homem que sempre tem colocado os interesses gerais acima de qualquer interesse particular. É por isso hoje notório que o desenvolvimento do concelho assenta na coesão social, no equilíbrio ambiental, na valorização do património».
Testemunhos, díscursos e animação fizeram parte do programa
Testemunhos, díscursos e animação fizeram parte do programa
Este jantar, promovido pela Comissão Política do Partido Socialista de Cabeceiras de Basto, «pretendeu juntar em ambiente de festa e convívio todos aqueles que, estando ainda vivos, participaram nas lutas político-partidárias que levaram à vitória de 1993, mas também todos os outros que, ao longo destes quinze anos, verificaram que Cabeceiras de Basto ganhou um rumo, o rumo do progresso e do desenvolvimento, e que por isso se juntaram ao PS e com ele têm estado na construção de um território cada vez mais coeso e mais desenvolvido, onde a qualidade de vida é hoje incomparavelmente superior à do período anterior a 1993», disse o Dr. China Pereira, Presidente da Comissão Política Local.
O jantar começou com a recepção no Pavilhão ao som da música dos Cavaquinhos da Raposeira. Seguiu-se a interpretação do hino da campanha de 1989, com letra e música do camarada José Lopes, verdadeira senha congregadora dos amigos, companheiros e camaradas naquela que terá sido uma das campanhas mais difíceis do PS em Cabeceiras de Basto, mas que apesar da derrota, motivou de forma absolutamente extraordinária os homens e mulheres que não se conformavam, à época, com o estado de subdesenvolvimento desta Terra de Basto. Acreditaram que o dia libertador haveria de chegar e fizeram dessa derrota o ponto de partida para a vitória que haveriam de almejar em 1993.
Um milhar de pessoas esteve presente na festa
Um milhar de pessoas esteve presente na festa
Durante o jantar foram passando, num ecrã gigante, a par de imagens retrospectivas do caminho percorrido nos últimos anos, mensagens de inúmeros cabeceirenses, autarcas, empresários, professores, jovens, que realçaram as qualidades de liderança de Joaquim Barreto, bem como a obra que lhe está associada. Foram lembrados também todos os autarcas socialistas entretanto falecidos.
No período das intervenções políticas coube ao Dr. China Pereira, presidente da Comissão Política do PS de Cabeceiras de Basto, fazer a primeira comunicação. Na oportunidade, referiu que com a liderança de Joaquim Barreto, Cabeceiras de Basto conheceu caminhos de progresso e desenvolvimento. A Dra. Fátima Oliveira, coordenadora do Conselho Municipal da Juventude, disse na sua alocução que «ficou para trás um passado de marasmo, inércia e adormecimento». De seguida, o Dr. Domingos Machado, membro da Assembleia Municipal, afirmou que vivemos em 12 de Dezembro de 1993, uma noite libertadora, mas que as vitórias são sempre precárias pelo que «temos que nos aplicar na defesa da democracia, um desafio permanente que temos que legar aos futuros cabeceirenses». A Dra. Rosa Miranda, também membro da Assembleia Municipal, afirmou que a oportunidade dada ao PS e a Joaquim Barreto resultou no fim da pasmaceira que vivíamos em Cabeceiras de Basto. E acrescentou, referindo-se a Joaquim Barreto «o princípio do líder assenta no fazer hoje melhor que ontem e amanhã melhor que hoje». O ex-presidente da Câmara e da Assembleia Municipal, Valdemar Gomes falou da herança difícil que o PS recebeu, destacando os salários em atraso dos trabalhadores da autarquia, as viaturas sem seguros e as elevadas dívidas a fornecedores. Mais à frente acrescentou «os cabeceirenses estavam fartos do desleixo, da incompetência e, por isso, surgiu um grupo de homens e mulheres a que tive e tenho a honra de pertencer que fez da vontade de mudar a força da vitória em 1993».
António Magalhães, Presidente da Câmara Municipal de Guimarães, afirmou: «hoje parece que tudo foi fácil. Parece mesmo que tudo caiu do céu, mas na verdade o que está à vista é o produto de trabalho esforçado de uma equipa liderada por Joaquim Barreto. Ao longo dos últimos 15 anos, Cabeceiras de Basto trilhou caminhos de progresso que muito orgulham os cabeceirenses. Depois de arrumada a casa apareceu a capacidade de trabalho, a disciplina, o rigor, a obra. Sou um particular observador das dinâmicas e da obra feita. Não estando em permanência em Cabeceiras é-me possível dar conta com mais facilidade do progresso desta terra». Destacando: «…e o progresso não se ficou só pela Vila de Cabeceiras de Basto, transbordou para as aldeias, para as freguesias e não há sítio nenhum deste concelho onde não seja notada a obra do Partido Socialista.» Terminou exortando os presentes a manter a chama viva «dizendo aos adversários que estamos aqui para o que der e vier».
Por sua vez, o Presidente da Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto, visivelmente emocionado, depois de saudar todos os presentes e de agradecer a presença de tantos amigos afirmou: «o que nos levou a abraçar este projecto não foi o poder pelo poder. Não foi pensando na satisfação de interesses pessoais, foi sim, a vontade de trabalhar para construir uma terra de progresso, uma terra desenvolvida. Conhecíamos bem o território, conhecíamos bem a nossa gente. Conhecíamos bem as dificuldades, fosse a dívida descontrolada da autarquia ou os salários em atraso dos trabalhadores da Câmara. Tínhamos uma ideia, tínhamos projectos, tínhamos propostas, tínhamos programa. Programa que os cabeceirenses aprovaram em 1993 e programas nos quais os cabeceirenses têm vindo sucessivamente a renovar a sua confiança». Joaquim Barreto enumerou de seguida um conjunto de realizações, nomeadamente aquelas que se distinguem pelo seu carácter inovador – Pista de Pesca Desportiva, Centro de Educação Ambiental, Centro Hípico, Museu das Terras de Basto, entre outros, mas também a criação de novos serviços e que mudaram a face do concelho. Disse: «Tudo isto foi fruto do trabalho de uma equipa onde nem todos se sentiram bem e, por isso, houve alguns que a foram abandonando porque não se sentiram identificados com o nosso projecto, embora até ao momento não tenham sido capazes de dizer para onde vão e o que pensam para Cabeceiras de Basto». A terminar Joaquim Barreto afirmou: «podem ter a certeza de que continuámos determinados. Daremos o máximo porque o futuro exige de nós o mesmo empenho, a mesma determinação, a mesma força. Há novos desafios que não vamos enjeitar, seja a qualificação das pessoas, o incentivo à fixação de empresas, a qualificação dos espaços e edifícios públicos, os centros escolares, bem como o apoio aos projectos de novas respostas sociais, da responsabilidade de algumas IPSS’s, e que estão em desenvolvimento».
O jantar comemorativo terminou com toda a gente a cantar os Parabéns aos 15 anos da vitória do PS.

© 2005 Jornal Ecos de Basto - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital. Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.