Associação Dinamizadora dos Interesses de Basto
Edição de 29-09-2014

Arquivo: Edição de 20-10-2008

SECÇÃO: Cultura

……UM COMPOSITOR

foto
Giuseppe Verdi

Giuseppe Fortunino Francesco Verdi nasceu em 10 de Outubro de 1813 na pequena localidade de Roncole, no Ducado de Parma, perto de Milão. Verdi era filho de Carlo Verdi, proprietário de uma taberna e de Luísa Utini.
Verdi demonstrou desde muito novo um grande interesse pela música e com apenas doze anos de idade começou na sede do seu município – Busseto a estudar música, com a ajuda financeira do comerciante António Barezzi.
Aos dezoito anos tentou a frequência no Conservatório de Milão, mas a sua inscrição não foi aceite por ter mais de 14 anos, mas mesmo assim não deixou de estudar e para isso teve de recorrer a um professor particular. Ao fim de 3 anos de estudos musicais Verdi regressou a Busseto para ocupar os lugares de Mestre-de-Capela e maestro da banda. Estes cargos serviram para o compositor arranjar uns certos inimigos, situação que o motivou a regressar definitivamente para Milão, na companhia de sua esposa, Margherita Barezzi.
foto
Verdi escreve, em Novembro de 1839 a ópera Oberto, Conte di san Bonifácio que tem estreia no Teatro alla Scala.
Em 1840, Verdi sofre um desgosto muito profundo – morre a sua esposa, com apenas 27 anos e os seus 2 filhos. Verdi prometeu a si próprio que nunca mais escreveria qualquer obra musical.
Bartolomeo Morelli, director do Teatro alla Scala, não se conformou com a ideia do compositor e tentou por todos os meios convencer Verdi para estudar uma outra obra musical par teatro, Nabucco.
Esta ópera que relatava a dominação dos hebreus por Nabucodonosor e que por isso se identificava com o sentimento do povo italiano, sob a repressão dos austríacos e franceses teve um êxito enorme. Após este sucesso Verdi continuou a escrever óperas e foi-se tornando conhecido a nível mundial.
Assim foi surgindo as óperas Rigoletto, Don Carlo e Il trovadore. Houve uma ópera – La Traviata, que na altura foi um fracasso, mas actualmente é uma das óperas mais encenadas a nível mundial.
Entretanto Verdi casa com Giuseppina Strepponi. Nesta altura foi reconhecido como um patriota e é eleito deputado e mais tarde senador. Vai continuando a escrever óperas e em 1871 foi estreada a ópera Aida na cidade do Cairo para comemorar a construção do canal de Suez e mais tarde com ajuda de um jovem poeta e compositor escreveria as óperas Otelo e Falstaff, baseadas em Shaekespeare.
Em 19 de Janeiro de 1901 Verdi sofre uma trombose e acaba de falecer na cidade de Milão a 27 do mesmo mês.

OBRAS-PRIMAS

Óperas
1840 Un Giorno de Regno
1842 Nabuco
1844 Ernani
1845 Alzira
1846 Attila
1847 Macbeth
1848 Il Corsaro
1851 Rigoletto
1853 Il Trovatore
1853 La Traviata
1867 Don Carlo
1871 Aida
1887 Otello
1893 Falstaff

Outras obras
foto

1838 Seis romanças
1874 Requiem
1898 Quatro peças sacras


……UMA MÚSICA

Se o leitor detesta ópera, de qualquer modo não perdeu nada por ler esta biografia, mas mesmo assim eu recomendo-o vivamente a ouvir os trechos mais famosos das óperas de Verdi:
·La Donna é Mobile, de Rigolletto
· O Coro dos Ferreiros, de Il Trovadore
· Libiano libiano, de La Traviata
· Marcha Triunfal, de Aida
… Pode ser que no fim mude de ideias

foto
Como tenho que escolher uma só música para este artigo, a minha opção vai cair naturalmente em Aida. Da grande discografia desta ópera disponível no mercado, seleccionei uma versão em DVD, que mostra a grandiosidade teatral desta obra e duas versões em CD, uma delas com a divina Maria Callas.
A
Bel Air Classiques – BAC022
(DVD Video - 2 discs)
B
foto
EMI – 5626782
(CD - 2 discs)

C
Decca – Originals – 4758240
(CD - 2 discs)



Por: Maia Ramos

© 2005 Jornal Ecos de Basto - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital. Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.