Associação Dinamizadora dos Interesses de Basto
Edição de 29-09-2014

Arquivo: Edição de 29-09-2008

SECÇÃO: Informação

Mútua de Basto
Centro para Apoio aos Sistemas Agrícolas

Falar de agricultura é muito mais do que falar apenas de produção de bens de consumo e de matérias-primas. Agricultura é também uma actividade importante para o equilíbrio ambiental dos territórios agro-florestais, para o ordenamento e ocupação dos espaços rurais, para a segurança alimentar e para o bem-estar dos animais.
Apesar de todos os benefícios, grande parte daqueles que cultivaram as terras partiram à procura de melhores empregos e melhores condições de vida, alguns dos que ficaram estão envelhecidos e são pouco escolarizados e qualificados; acrescenta-se ainda a escassa diversidade económica que torna as pessoas cada vez mais pobres.

Cerimónia de assinatura do Protocolo com as presenças do Sr. Director Regional e Adjunto, respectivamente, Arq. Carlos Guerra e Dr. António Ramalho e Presidente da Direcção da Mútua de Basto/Norte, Eng. Joaquim Barreto.
Cerimónia de assinatura do Protocolo com as presenças do Sr. Director Regional e Adjunto, respectivamente, Arq. Carlos Guerra e Dr. António Ramalho e Presidente da Direcção da Mútua de Basto/Norte, Eng. Joaquim Barreto.
Com o objectivo de combater estas dificuldades, a Mútua de Basto/Norte assinou, no passado dia 25 de Setembro, um protocolo de colaboração com o Ministério da Agricultura, Desenvolvimento Rural e das Pescas, através da Direcção Regional da Agricultura e Pescas do Norte, para a criação e operacionalização do Centro para Apoio aos Sistemas Agrícolas e Agro-Florestais de Montanha.
O Centro de Apoio pretende desenvolver um plano de intervenção ambicioso e integrado para os sectores agrícolas, florestais e pecuários, através de projectos inovadores, pensados para vencer os desafios inerentes ao processo de desertificação, tão específicos da propriedade de minifúndio. Assim, para inverter um cenário de desertificação e pobreza, pretende-se dinamizar o cultivo dos terrenos agrícolas; reduzir os incultos e as zonas de matos; prevenir os incêndios florestais; ampliar e ordenar a área florestal; fixar e aumentar a população, com qualidade de vida, nos meios rurais.




A operacionalização deste Centro será realizada com a participação de diferentes parceiros, designadamente as entidades localizadas na Região, vocacionadas para apoiar os sectores económicos ligados à pecuária e à comercialização das carnes de raças autóctones. Nestes, incluem-se os organismos privados de certificação, as associações de desenvolvimento local, com particular relevância para as que vêm demonstrando actuação meritória na implementação da iniciativa comunitária LEADER. Para operacionalizar este centro serão ainda utilizadas estruturas ligadas à actividade cinegética, infra-estruturas de apoio à realização de actividades de divulgação técnica e/ou promoção comercial, entre outras, para num verdadeiro espírito de rede e, em estreita cooperação com a Mútua de Basto/Norte, elaborar um plano de intervenção que vá de encontro às dificuldades sentidas pelos nossos agricultores.
Na concretização deste plano de intervenção é necessária também a participação das populações, nomeadamente, dos proprietários dos terrenos, através das organizações ligadas directa ou indirectamente ao sector Agrícola, Pecuário e Florestal.
O protocolo de colaboração assinado, mais uma vez se deve ao relacionamento amistoso e de verdadeira cooperação entre a Mútua de Basto/Norte e a Direcção Regional de Agricultura e Pescas do Norte, em prol do agricultor e da promoção, desenvolvimento integrado e sustentado dos meios rurais.

Elisabete Ribeiro

© 2005 Jornal Ecos de Basto - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital. Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.