Associação Dinamizadora dos Interesses de Basto
Edição de 29-09-2014

Arquivo: Edição de 07-07-2008

SECÇÃO: Informação

Escola de Gondarém vence 1º Concurso de Brinquedos Tradicionais

Com o «comboio de cortiça», a EB 1 de Gondarém, freguesia de Cabeceiras – S.Nicolau, venceu o primeiro Concurso de Brinquedos Tradicionais que a Câmara Municipal promoveu através do seu Museu das Terras de Basto, recebendo um prémio no valor de 100 euros. Seguiram-se, a EB1 da Ferreirinha, de Cavez, com a apresentação do trabalho «boneco em berço» e a EB1 de Outeiro com o «carrinho», posicionando-se em segundo e terceiro lugares e arrecadando 75 euros e 50 euros, respectivamente. A EB1 de Refojos com a «boneca de trapos», a EB1 de Lameiros com a «roda» e a EB1 de Alvite com o «carrinho de bonecas» particirama neste concurso e receberam prémios de participação no valor de 25 euros a atribuir em material pedagógico.

Brinquedos a concurso
Brinquedos a concurso
Esta iniciativa, segundo apuramos, teve como objectivo estimular a imaginação e promover a criatividade e o desenvolvimento das capacidades intelectuais das crianças e jovens, realçando e recuperando o virtuosismo e a naturalidade dos brinquedos populares feitos de forma artesanal. Este concurso, destinou-se a todas as escolas do 1º ciclo do ensino básico do concelho, que apresentaram os seus trabalhos até ao final do ao lectivo.
Recorrendo a materiais como madeira, tecido, barro, arame, folhas, cortiça, entre outros, os trabalhos a concurso apresentaram grande criatividade e originalidade que foi avaliada por um júri constituido para o efeito.
Os trabalhos apresentados estiveram expostos no Museu das Terras de Basto.
Ao promover este primeiro concurso de briquedos tradicionais, o executivo municipal teve em vista a reflexão em torno do tempo de crescimento e formação da criança, da importância do «faz de conta» e da repetição, ao mesmo tempo que são contributos para relembrar à comunidade como é importante dar espaço ao estudo, mas também à liberdade da imaginação das crianças e do riso. A descoberta do património e das heranças das brincadeiras e dos jogos, retratos de tempos e de uma sociedade que já não existe, a formação no sentido de valorizar um saber-fazer utilizando técnicas, materiais e memórias, pode ser hoje uma oportunidade de aproximação a um saudável uso do tempo da brincadeira. Na reprodução dos brinquedos e dos jogos, a sociedade faz o seu próprio retrato e caracterização social.

© 2005 Jornal Ecos de Basto - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital. Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.