Associação Dinamizadora dos Interesses de Basto
Edição de 29-09-2014

Arquivo: Edição de 16-06-2008

SECÇÃO: Informação

Autarquia beneficia Adro da Igreja de Passos

O adro agora beneficiado
O adro agora beneficiado
A Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto procedeu no dia 13 de Junho à inauguração do arranjo urbanístico da zona envolvente da Igreja de Passos. Uma cerimónia simples, que contou com a apresença do edil Cabeceirense, Engº Joaquim Barreto, do Presidente da Assembleia Municipal, Dr. Serafim China Pereira, o Presidente da Junta de Freguesia de Passos, vereadores, demais autarcas da freguesia, pároco e população em geral, que se associaram ao acto que concretizou uma pretensão antiga dos habitantes daquela localidade.
As obras levadas a cabo, que representaram um investimento na ordem dos 15.626,00 Euros, incidiram na beneficiação do adro da Igreja Paroquial, através da pavimentação em lajeado e em cubos de granito daquele espaço envolvente, até agora em terra, assim como, na colocação de mobiliário urbano, gradeamento e iluminação, dando corpo a um projecto que implicou recurso a máquinas e mão-de-obra especializada.
Presidente da Câmara acompanhado do Pároco da freguesia e da população local inauguraram o novo adro
Presidente da Câmara acompanhado do Pároco da freguesia e da população local inauguraram o novo adro
Na ocasião, era visível a satisfação do Pároco da freguesia, Padre Barros, que após a benção, agradeceu a realização deste obra que veio beneficiar o adro da Igreja Paroquial de Passos e proporcionar melhores condições aos fiéis que se deslocam àquele local de culto.
Por sua vez, o Presidente da Assembleia Municipal, Dr. Serafim China Pereira, manifestou o seu agrado pela conclusão de mais uma obra, que neste caso veio embelezar este espaço central, religioso e social da freguesia, beneficiando directa ou indirectamente todos os habitantes de Passos.
Por fim, o Presidente da edilidade, corroborou das palavras anteriores, frisando que este antigo e importante espaço da freguesia, ficou agora mais urbano, mais acolhedor, através de uma intervenção cuidada, permitindo o culto num cenário esteticamente bem enquadrado e conferindo mais dignidade e beleza à Igreja Paroquial de Passos. Foi assim, satisfeita mais uma necessidade da população, através do bom entendimento e cooperação entre as partes, nomeadamente Paróquia e Autarquia, beneficiando directamente a população e criando melhores condições de vida.

Para nos falar sobre esta obra e outros assuntos relacionados com a de freguesia, abordámos algumas pessoas da terra que, de um modo geral, se manifestaram gratos e reconhecidos pelos trabalhos realizados.
foto
Maria Alice Leite (foto), residente no lugar da Bandeira, disse-nos estar contente por terem acabado os frequentes lamaçais no adro da Igreja, acrescentando que “quem beneficia com o melhoramento são as pessoas da terra, não são as de fora. Se a obra é boa e está bem feita, só temos que agradecer a quem a fez ou mandou fazer ”.
foto
Por sua vez, José Ribeiro Leite, (foto) residente na Ribeira de Baixo, referiu-nos que “o arranjo ficou bonito. Primeiro, cheguei a duvidar, pensando que iriam estragar com cimento a beleza do granito envolvente da nossa Igreja, mas enganei-me… Agora reconheço que os paralelos, o lajeado e os bancos estão muito bem combinados.” Em jeito de conclusão, acrescentou: “Vou aguardar pela noite para ver o efeito da iluminação …”
foto
Por último, José Neves, (foto) do lugar da Portela, não dispensou elogios abertos à Câmara Municipal por mais um investimento realizado na sua terra. Falou-nos ainda sobre a polémica que envolve a Câmara Municipal e a Junta de Freguesia, em volta da titularidade e gestão do edifício da antiga escola primária, dizendo: “É uma questão jurídica que está e ser resolvida pelos tribunais. Acho que se tivesse havido bom senso, alguma ponderação e capacidade de diálogo, a situação nunca teria chegado à pouca-vergonha a que chegou. Está-se a esbanjar desnecessariamente o pouco dinheiro da Junta tem nos tribunais, para que? O edifício não tem rodas, ninguém quer, nem consegue levá-lo daqui p’ra fora.” E prosseguiu na sua apreciação: “Não é por falta de espaço que a Junta de Freguesia não faz aquilo que deve e lhe compete. Aliás, a sua inércia e incapacidade contrastam bem com o dinamismo empreendedor da Câmara Municipal.” E deixou ainda um recado: “Se por acaso alguém está a pensar usar essa questão como desculpa em período eleitoral, está enganado… as pessoas já não vão em balelas…“
- Mas há quem diga que, desde as últimas eleições autárquicas, a Câmara Municipal tem ignorado esta Freguesia. Questionamos.

“- Quem assim diz não é de cá! Respondeu de pronto. “Anda por aí gente de fora, muito interessada em botar lenha em fogueira alheia… Posso-lhe dizer que é raro o dia em que a freguesia não seja visitada por pessoal ligado aos mais diversos serviços camarários. As obras da Câmara não pararam e estão à vista de todos, sejam de hoje, de há cinco ou dez anos”. E após uma breve pausa, concluiu: “Muito do que hoje a freguesia de Passos tem, deve-o ao actual Executivo camarário …”

© 2005 Jornal Ecos de Basto - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital. Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.