Associação Dinamizadora dos Interesses de Basto
Edição de 29-09-2014

Arquivo: Edição de 16-06-2008

SECÇÃO: Informação

Ciclo de Conferências “Políticas de Futuro”
«As crianças em risco» foram tema de debate em Cabeceiras de Basto

O Auditório Municipal Ilidio dos Santos, acolheu no dia 11 de Junho, a realização da 20ª conferência, integrada no «Ciclo de Conferências – Políticas de Futuro» que a Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto, está a dinamizar desde 2006, desta feita subordinada ao tema «As crianças em risco». Uma iniciativa, cujo objectivo consiste em, “numa perspectiva cívica e política informar, formar e sensibilizar a comunidade para temas diversos, através de um encontro mensal promovido pela Câmara Municipal local e que se destina à população em geral e em particular aos quadros da Autarquia, atendendo à sua valia técnica, social e política e ainda à diversidade dos temas e à qualidade académica dos prelectores”.

foto
O orador convidado foi o ilustre Juiz Conselheiro Dr. Armando Leandro, Presidente da Comissão Nacional de Crianças e Jovens em Risco. Esta acção reuniu vários agentes, autarcas e público em geral, em torno dos direitos das crianças.
Na ocasião, o Vereador do Pelouro da Acção Social, Dr.Jorge Machado, fez uma abordagem sociológica do tema, classificando o tempo de vida em três ciclos (jovem, adulto e da reforma) que tem vindo a registar mudanças, facto que exige uma nova postura da sociedade em geral. Referiu ainda, as mudanças registadas ao nível da família, com consequências mais ou menos graves que se reflectem nos diferentes ciclos de vida.

Dignificar a pessoa humana

Após uma explanação do funcionamento e dos projectos da Comissão de Protecção de Crianças e Jovens de Cabeceiras de Basto, pela sua presidente, Drª Rosa Maria Miranda, o orador convidado felicitou a Câmara Municipal por esta iniciativa de falar sobre as crianças. Consideradas outrora seres passivos, hoje, «sujeitos de direito» e seres interactivos, tem direito ao desenvolvimento integral, à pertença, ao espírito crítico, à família, à palavra, entre outros, que é preciso ter em conta numa sociedade cada vez mais pluralista, multicultural e complexa. Neste âmbito, considerou que o dominador comum a encontrar tem que ser a dignidade da pessoa humana, salientando que não há desenvolvimento económico se não houver desenvolvimento social e humano, o que impõe uma mudança de cultura, uma nova postura de todos na construção de uma sociedade. Hoje, é cada vez mais necessário «regar os afectos», proteger a família, recuperar valores, princípios, disciplina e autoridade (sem confundir com autoritarismo), factores importantes na formação das crianças e dos jovens. Formação esta, que deve ser acompanhada por vários parceiros, envolvidos na construção do bem-estar das crianças. Referiu a propósito, o trabalho que vem sendo feito pelas CPCJ’s e pelas Redes Sociais, que agregam vários parceiros, regidas pelo fenómeno do localismo onde a comunidade é cada vez mais chamada a intervir. Salientou no entanto, que a pesar do voluntariado e do espírito cívico que é transversal a estas entidades, é indispensável a afectação de mais recursos, tendo em vista a realização de mais diagnósticos e da dinamização e implementação de mais acções de sensibilização e de informação junto dos diferentes públicos, mas tendo como fim a protecção das crianças e jovens. O Presidente da CNPCJR enalteceu também o papel da escola, do tutor, dos autarcas e das diferenstes instituições que, em parceria, procuram dar respostas e salvaguardar o direito das crianças mais fragilizadas, terminando a parafrasear Miguel Torga ao dizer que «todos somos estafetas do futuro, ao receber e ao passar testemunhos».
Após um debate muito participado, o edil cabeceirense, EngºJoaquim Barreto, agradeceu a presença de todos, reiterando a disponibilidade do Município Cabeceirense em continuar a colaborar e a ajudar a construir uma sociedade mais equitativa, mais solidária e mais capaz, a quem apelou um envolvimento cada vez mais activo e humano.

© 2005 Jornal Ecos de Basto - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital. Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.