Associação Dinamizadora dos Interesses de Basto
Edição de 29-09-2014

Arquivo: Edição de 14-04-2008

SECÇÃO: Informação

O Minho como destino de eleição

O Hotel Turismo de Braga, recebeu no passado dia 27 de Março, várias figuras ligadas ao turismo minhoto tendo em vista debater «O Minho como destino de eleição». Tratou-se de um Seminário levado a cabo no âmbito do projecto “Minho de eventos”, dinamizado pela GAMM que teve como objectivo dotar a região minhota de uma capacidade acrescida de organização, promoção e comercialização dos serviços e produtos locais, atracção de turistas e dinamização dos sectores do alojamento, restauração e comércio tradicional.

Várias figuras ligadas ao turismo minhoto destacaram "o Minho como destino de eleição"
Várias figuras ligadas ao turismo minhoto destacaram "o Minho como destino de eleição"
O crescimento e a sustentabilidade passa pela optimização e profissionalização de todos os recursos e serviços, referiu na ocasião o director –geral da empresa “XZ consultores”, Júlio Faceira, que participou no evento. De acordo com este dirigente, todos os resposnáveis turísticos «devem apostar no aumento da qualidade dos serviços, dos produtos e de todos os factores que afectam a eficiência e eficácia das organizações». Para Júlio Faceira, a qualificação permite aos profissionais a capacidade para identificar e responder às necessidades e expectativas das estruturas turísticas. «Tudo deve ser gerido e não improvisado. Todos os pormenores devem ser avaliados e cuidados», explicou este dirigente para quem a qualificação permite aos profissionais a capacidade de identificar e responder às necessidades e expectativas das estruturas turísticas.
Por sua vez o presidente da GAMM – Grande Área Metropolitana do Minho, a que o concelho de Cabeceiras faz parte, Engº Joaquim Barreto, referiu na ocasião, que a região do Minho tem uma boa oferta turística, faltando apenas uma profissionalização dos recursos. Na sua óptica, «os estabelecimentos devem adaptar-se às novas necessidades e não se pode culpar sempre a ASAE – Autoridade de Segurança Alimentar e Económica. Para o autarca, o Minho deve ser um destino de eleição para todos os turistas. Para que tal aconteça deve existir união de todas as entidades competentes, referiu.
Também o Presidente da Região de Turismo Verde Minho, Henrique Moura, disse que a falta de formação profissional pode criar situações muito embaraçosas, já que é muito difícil vender um produto e quando não estamos preparados para receber o turista mais complicado se torna, frisou. Na oportunidade, Henrique Moura defeniu ainda o Minho como «a segunda região portuguesa mais visitada». É necessária a articulação de eventos de cariz local, regional e nacional para que haja um maior proveito dos mesmos.

© 2005 Jornal Ecos de Basto - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital. Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.