Associação Dinamizadora dos Interesses de Basto
Edição de 29-09-2014

Arquivo: Edição de 03-03-2008

SECÇÃO: Informação

Pela Câmara

Aproveitamento de Biomassa Florestal

Sob a presidência do Eng.º Joaquim Barreto, reuniu no edifício dos Paços do Concelho, a 14 de Fevereiro, a Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto.
Dos assuntos tratados, o destaque foi para a decisão do executivo municipal em vender uma parcela de terreno com área de 56.800 m2, à EDP – Produção Bioeléctrica, SA, tendo em vista integrar a futura Zona Industrial de Vila Nune.
Segundo informação divulgada, trata-se de um terreno destinado à instalação de uma indústria de produção de energia através do aproveitamento de biomassa florestal residual, indústria esta para a instalação da qual a EDP, já dispõe da respectiva licença de estabelecimento.
Recorde-se que a Biomassa consiste no aproveitamento dos resíduos florestais numa vertente múltipla de limpeza da floresta (reduzindo o risco de fogos florestais), funciona como fonte de rendimento proveniente da venda dos mesmos (complemento de riqueza para o mundo florestal) e tem como objectivo final a produção de energia.
A produção da Biomassa contribui também para colmatar a libertação de CO2, com a renovação da floresta (corte e plantação controlados) através da fotossíntese e para reduzir a importação de outros recursos energéticos como o petróleo, o carvão ou o gás.
A Central de Biomassa de Cabeceiras de Basto que está perspectivada para abranger algumas dezenas de concelhos do Norte do país, é uma aposta do Município Cabeceirense, há mais de uma década.
«Ao vender esta parcela de terreno, a Câmara Municipal está a contribuir para agilizar a instalação de um equipamento que representa uma mais valia para o concelho, não só no que se prende com a valorização de um importante recurso endógeno da terra, mas também porque contribuirá para a criação de novos postos de trabalho e para a produção de energia», refere nota divulgada.

Emunibasto assume gestão da Praia Fluvial de Cavez

Na reunião o executivo municipal decidiu também, rescindir o protocolo anteriormente estabelecido com o Cavez Clube de Caça e Pesca, destinado à exploração da Praia Fluvial de Cavez e entregar a sua gestão à EMUNIBASTO – empresa de serviços para a educação, formação, cultura, deporto, tempos livres e turismo. Decidiu ainda revogar e reformular a decisão tomada em Fevereiro do ano transacto e proceder à doação de uma parcela de terreno, com área de 2.500 m2, à ADIB – Associação Dinamizadora dos Interesses de Basto, que já tem uma candidatura aprovada no âmbito do programa Pares para a construção de um edifício com fins sócio-educativos destinado aos jovens e idosos e que esta IPSS concelhia pretende levar a cabo.
Por sua vez, a Fundação A J Gomes da Cunha, recebeu um apoio da autarquia através da atribuição de um apoio monetário de 1500 Euros, para ajudar a custear as despesas inerentes à realização do Torneio Regional do Norte de Natação de Inverno, bem como apoiar o Arco Rotações Clube, não só logística como financeiramente através da atribuição de 800 Euros, e desta forma contribuir para a realização de mais um passeio de Motos TT, evento que tem vindo a organizar de alguns anos a esta parte reunindo centenas de adeptos da modalidade.

Autarquia avança com Centro Escolar de Refojos

O executivo municipal decidiu abrir concurso para a empreitada de construção do novo Centro Escolar de Refojos.
Trata-se de um equipamento, que segundo informação divulgada, representa um investimento na ordem dos 2.514.000,00 Euros, a edificar numa parcela de terreno adquirida recentemente pela Câmara Municipal para esse fim, com área de 9.550m2 e que situa junto ao Pavilhão Gimnodesportivo, numa zona central desta vila Cabeceirense.
A construção do futuro Centro Escolar de Refojos resulta do reordenamento previsto na carta educativa concelhia, aprovada no âmbito da reforma que está a ser levada a cabo pelo Ministério da Educação. Aquele documento privilegia a construção de infra-estruturas integradas, ou seja, juntando os ensinos, pré-escolar e 1º ciclo do básico, capazes de dar mais respostas aos alunos, professores e encarregados de educação. Ao avançar com este projecto, «a Câmara Municipal está a investir no sector educativo e a criar melhores condições de aprendizagem às centenas de crianças que frequentam o maior agrupamento escolar do concelho».
Esta estratégia visa orientar o sistema educativo em função do desenvolvimento económico e sócio-cultural concelhio, com maior incidência ao nível dos primeiros ciclos do ensino, através de um reordenamento da rede escolar de forma gradual, tendo em vista garantir melhores condições de aprendizagem e leccionação.
Recorde-se que a Carta Educativa concelhia foi submetida à apreciação e votação da Assembleia Municipal, e respiga um conjunto de propostas e soluções que são o culminar de um trabalho realizado ao longo dos últimos anos [desde 2004], envolvendo vários agentes ligados ao sector da educação tais como, autarcas, associações de pais, representantes dos ensinos pré-escolar e básico público, Direcção Regional de Educação do Norte, Juntas de Freguesia, instituições de solidariedade social, serviços públicos de Saúde, serviços de Segurança Social, serviços de Emprego e Formação Profissional, das forças de segurança, entre outros, tendo por base o diagnóstico dos principais problemas educativos do concelho. «É por isso, um importante documento para os Cabeceirenses, pensado à luz das novas realidades demográficas do território, das condições sócio-económicas e da concretização do conceito de “escola a tempo inteiro”, para todas as crianças», refere nota divulgada acrescentando que «a Câmara Municipal espera, que desta profunda transformação resultem melhores condições para o sucesso escolar e educativo da sua população mais jovem, numa aposta clara na qualificação dos cabeceirenses».

foto
Obras na Pista de Aviação de Abadim prosseguem


Nesta sessão, foi autorizada a abertura do concurso para a empreitada de desmonte de rocha até 90.000m3 no topo Norte da Pista de Aviação, em Abadim. Esta infra-estrutura tem como objectivo principal servir de apoio no combate aos incêndios florestais, já que entre Braga e a Serra do Alvão, zona de grande mancha florestal, não existe outra desta natureza, revestindo-se por isso, de grande importância para o concelho de Cabeceiras de Basto, mas também para uma região muito mais vasta que abrange os concelhos de Vieira do Minho, Montalegre, Boticas, Ribeira de Pena, Mondim de Basto, Fafe e Celorico de Basto. Com cerca de mil metros de extensão e sessenta metros de largura, esta Pista, foi iniciada, há anos atrás, pela Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto, representando um investimento de grande dimensão que vem sendo concretizado com o apoio das populações, da autarquia e do Exército, através do Regimento de Engenharia Nº 3, de Espinho.
A Câmara decidiu por fim, estabelecer um protocolo de colaboração com o Cavez, Clube de Caça e Pesca da freguesia de Cavez, onde são estabelecidas as obrigações e os direitos de cada uma das partes na realização da Montaria ao Javali que promoveram na Zona de Caça Municipal de Cabeceiras de Basto.

© 2005 Jornal Ecos de Basto - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital. Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.