Associação Dinamizadora dos Interesses de Basto
Edição de 29-09-2014

Arquivo: Edição de 11-02-2008

SECÇÃO: Desporto

Associação Desportiva, Recreativa e Cultural Águias de Painzela

foto
ÁGUIAS DE PAINZELA DINAMIZA FUTSAL

A Associação Desportiva, Recreativa e Cultural Águias de Painzela, dinamiza desde 2005 a modalidade de Futsal, naquela freguesia. Um trabalho aturado, desenvolvido em parceria por António José Pereira Antunes, Victor Manuel Pereira Antunes, António Manuel Coelho Senra e Susana Patrícia Carvalho Antunes. Jovens desportistas que semanalmente treinam um grupo de miúdos, que com afinco, dedicação e sentido de responsabilidade praticam a modalidade e projectam o concelho nas competições em que participam, seja em Cabeceiras de Basto, seja na região. Actualmente a militar na distrital de infantis da 1ª divisão da Associação de Futebol de Braga, o Ecos de Basto foi ver in loco o trabalho desenvolvido por esta equipa de Futsal e conversou com António Senra, um dos timoneiros deste projecto.
Como surgiu a ideia da dinamização de uma equipa de futsal no escalão mais jovem?
foto
A ideia surgiu, quando eu e os meus três colegas, o Tozé, o Vítor e a Susana estávamos a assistir a um jogo com uma equipa cá da terra, o Alvite. Em conversa surgiu a ideia e decidimos formar uma equipa de futsal de formação. A partir daí foi só por «mãos à obra».
Há quantos anos está a funcionar esta equipa?
A equipa está a funcionar desde 2005. Tem 3 anos de existência.
Que escalão e/ou divisão ocupam actualmente estes jovens promessas?
Neste momento estamos a disputar o campeonato distrital de infantis da 1ª divisão da Associação de Futebol de Braga. O escalão é constituído por 10 equipas, que jogam entre si durante três séries. Para os menos entendidos, em três voltas.
O que motivou a treinar esta equipa?
Neste caso, foi o gosto pelo futebol e principalmente pelo futsal, que neste momento está em alta em Cabeceiras de Basto. Foi um desafio grande para nós, mas que neste momento está a dar frutos e esperamos que assim continue no futuro. O actual desempenho está a ser efectuado sobretudo pelo Tozé (António José Pereira Antunes) e pelo Vítor Antunes, que têm acompanhado mais de perto os treinos dos jovens.
foto
O que pede a estes miúdos tão novos antes dos jogos?
Pedimos para terem respeito pelos colegas, pelos treinadores, pelos dirigentes e pelos adversários. É o principal, mas também pedimos que tenham ambição de ganhar, porque além de sermos uma equipa de formação, onde o lema é formar jovens e chegar ao fim do campeonato, obviamente que gostamos de ganhar, principalmente os miúdos.
Qual é o objectivo primordial do «clube» Águias de Painzela no campeonato onde estão inseridos?
Como já referi o principal objectivo é chegar ao fim da época e que corra tudo bem com os nossos atletas. Mas também queremos ganhar e vamos lutar para sermos campeões.
Que valor lhe incute relativamente à sua postura actual e futura, quer no campo pessoal, quer no campo profissional?
A nível profissional incutimos nos jovens que o futuro no futsal ou no futebol não é «um mar de rosas» e que para serem bons profissionais têm que ser humildes e ter respeito pelos outros. Procuramos também fazer-lhes ver que para além do futebol têm que estudar. O nosso principal objectivo é que eles estudem e que tirem boas notas. O futuro é incerto e como tal procuramos incentivá-los a ter boas notas. A ter bases para seguir outras profissões.
Na sua opinião acha que tem aqui jovens promissores que podem vingar de forma positiva num futuro próximo?
Sim, temos alguns jovens que acho, quer dizer, tenho a certeza que se forem bem aproveitados, podem ser grandes jogadores.
Está satisfeito com os resultados alcançados? Quais as ambições deste plantel?
Sim, estamos muito satisfeitos com o desempenho destes jovens que demonstram ser grandes profissionais, mesmos em campos onde o apoio do adversário é mais intenso. Até ao momento só perdemos dois jogos e estamos a procurar não perder mais nenhum para podermos ser campeões. Este ano um dos objectivos é alcançar o 1º lugar, o que para já é possível, pois estamos em igualdade de pontos com o Faia e o Silvares.
Mudando de assunto, no que respeita às condições desportivas ao nível quer das instalações, quer ao nível dos incentivos, tem recebido apoio de entidades exteriores ou as despesas são integralmente suportadas pelo clube?
Temos alguns patrocinadores, cujos donativos agradecemos. Dão-nos muito apoio. A Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto também ajuda quer através da cedência do Gimnodesportivo, quer do apoio monetário.
Mas esta modalidade ainda fica cara. Temos que fazer a inscrição dos atletas e assumir outras despesas que ficam a nosso cargo, tais como, transporte dos jogadores. Despesas que já nem contabilizamos. Temos também a ajuda dos pais que é importante.
O clube aposta só no futsal ou dinamiza outras iniciativas?
O clube, neste momento, só aposta no futsal, não tem mais nenhuma actividade extra.

Por: Manuel Magalhães

© 2005 Jornal Ecos de Basto - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital. Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.