Associação Dinamizadora dos Interesses de Basto
Edição de 29-09-2014

Arquivo: Edição de 11-02-2008

SECÇÃO: Informação

Começou a construção do Palácio da Justiça de Cabeceiras de Basto

Teve início no dia 4 de Fevereiro, a construção do Palácio da Justiça de Cabeceiras de Basto. Um equipamento orçado em 2.276.000 euros, há muito ansiado e reivindicado pela população local.
Adjudicado em Outubro passado, aquando da deslocação ao concelho do Senhor Secretário de Estado Adjunto e da Justiça, Dr. Conde Rodrigues, este é um processo antigo, que remonta ao ano de 1987. No entanto, após várias vicissitudes, só em 1995, a Autarquia garantiu condições de disponibilização do terreno necessário para a edificação do Tribunal e reafirmou a necessidade urgente de concretização.
Em 2001, foi assinado um protocolo de colaboração entre a Câmara Municipal e o Ministério da Justiça destinado à sua construção, mas só após um interregno de quatro anos, entre 2002 e 2005, o assunto voltou à agenda do Governo que retomou o processo e diligenciou no sentido de construir este importante equipamento.

Autarcas e responsáveis  pelo Ministério da Justiça visitaram no terreno as obras agora em curso
Autarcas e responsáveis pelo Ministério da Justiça visitaram no terreno as obras agora em curso
Recorde-se que as instalações onde actualmente funciona o Tribunal Judicial não reúnem as melhores condições de funcionamento. Condições, estas que a construção do Palácio da Justiça, vai suprimir num prazo previsto de nove meses, altura em que ficará concluído.

Um dia histórico para o concelho

Chega assim, ao fim, um antigo processo e a concretização de mais um investimento no concelho. Por este motivo «Cabeceiras de Basto viveu hoje um dia histórico», referiu na oportunidade o Presidente da Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto, Eng.º Joaquim Barreto, que acompanhado pelo Presidente da Assembleia Municipal, pela vereação da Câmara Municipal, pelo Presidente do Instituto de Gestão Financeira e de Infra-estruturas da Justiça, projectistas, empresa adjudicatária, demais autarcas e convidados, visitou o terreno, localizado na Avenida Cardeal D. António Ribeiro, em Refojos, onde teve início a construção este importante equipamento público para o concelho de Cabeceiras de Basto.
O edil manifestou igualmente a sua satisfação e alegria pela resolução de um processo que se arrasta há vinte anos, desafiando na ocasião, aqueles que com intrigas procuraram pôr em causa o trabalho sério desenvolvido ao longo dos anos, a converter-se ao concelho, às suas necessidades em prol do bem estar da população local. O autarca confessou ainda estar a viver um dia feliz. Isto porque, a construção do Palácio da Justiça, exigiu nos últimos anos, muitas diligências, muito trabalho. Trabalho este que foi compensado, já que se trata de um projecto com solidez, com visão de futuro e consolidado num momento em que fecham serviços em determinados concelhos. É um direito próprio que temos, e que vem de encontro ao desenvolvimento que se regista nesta terra referiu o autarca, que considerou ainda, que «chegamos a um momento em que ninguém tem dúvidas que o Palácio da Justiça será uma realidade».


Melhorar os serviços da Justiça

Por sua vez, o Presidente do Instituto de Gestão Financeira e de Infra-estruturas da Justiça referiu que a construção deste equipamento faz parte de um conjunto significativo de novos investimentos que o Ministério da Justiça está a desenvolver para criar e melhorar os serviços da Justiça. Adiantou ainda, que o Palácio da Justiça de Cabeceiras de Basto vem dotar este concelho de instalações mais adequadas e desta forma dar resposta às necessidades dos Serviços Judiciais aqui instalados, satisfazendo igualmente, outras necessidades, já que vai albergar as conservatórias. Estão assim, reunidas condições para optimizar, agilizar e melhorar os serviços prestados às populações.


© 2005 Jornal Ecos de Basto - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital. Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.