Associação Dinamizadora dos Interesses de Basto
Edição de 29-09-2014

Arquivo: Edição de 30-11-2007

SECÇÃO: Região

No âmbito do Ciclo de Conferências “Políticas de Futuro”
Cabeceiras debate como «Utilizar o QREN para promover o desenvolvimento regional»

No âmbito do Ciclo de Conferências “Políticas de Futuro” que o Município de Cabeceiras de Basto está a dinamizar desde 2006, decorreu no dia 22 de Novembro, no Auditório Municipal Ilídio dos Santos, a 16ª edição, desta feita subordinada ao tema “Utilizar o QREN para promover o desenvolvimento regional”.
A oradora convidada foi a Drª Cristina Azevedo, Vogal Executiva da Comissão Directiva do Programa Operacional do Norte, que na ocasião explicou ao numeroso público presente a importância deste Quadro de Referência Estratégico Nacional [QREN], que disse representar um desafio acrescido para Portugal nos próximos anos, mais precisamente de 2007 e 2013.

A Drª Cristina Azevedo explicou os desafios que o QREN impôe
A Drª Cristina Azevedo explicou os desafios que o QREN impôe
Durante a sua intervenção foi feita uma abordagem a diversas questões à luz do QREN e de novas medidas dirigidas à revitalização das regiões do interior. Esta técnica da CCDR-N, com ligações ao Arco de Baúlhe, apresentou ainda um breve diagnóstico sobre o Norte de Portugal, que considerou tratar-se de «uma das regiões europeias de mais forte vocação industrial e exportadora, para mercados internacionais exigentes, embora com insuficientes níveis de produtividade» apresentando por isso, uma necessidade urgente de intensificação tecnológica e de evolução na cadeia de valor.
Para a Drª Cristina Azevedo, há áreas de negócio sólidas e com grande potencial de qualificação da actividade económica regional tais como as TICEs, as máquinas e o material eléctrico. A saúde, os dispositivos médicos, a farmacêutica, a bioquímica/biotecnologia e agroalimentar, apresentam-se também com elevado potencial.

Competitividade, inovação e conhecimento decisivos para o desenvolvimento

A Drª Cristina Azevedo, disse no entanto que o Norte de Portugal tem algumas “fragilidades” ao nível dos recursos humanos, assim como ao nível do modelo de ocupação do território que espelha baixo nível de coesão e competitividade inter-regional. Na ocasião, e após uma análise da economia regional do Norte, a oradora falou ainda sobre a «Visão 2015», defendendo que a Região Norte nesta data, será «capaz de gerar um nível de produção de bens e serviços transaccionáveis que permitam recuperar a trajectória de convergência a nível europeu assegurando, de forma sustentável, acréscimos de rendimento e de emprego da sua população e promovendo, por essa via, a coesão económica, social e territorial».
Competitividade, Inovação e Conhecimento; Valorização Económica de Recursos Específicos; Valorização e Qualificação Ambiental e Territorial; Qualificação dos Sistemas Urbanos; Governação e Capacitação Institucional e Assistência Técnica; representam as prioridades estratégicas deste Programa Operacional Norte, que representa 36,8% da dotação financeira dos programas Operacionais Regionais, 12,5% da dotação financeira do QREN e disporá de 2,7 mil milhões de euros do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER), que deverá viabilizar quase 4,25 mil milhões de euros de investimento na região a aprovar até 2013.
Por fim a Drª Cristina Azevedo respondeu a várias questões levantadas pelos presentes, esclarecendo dúvidas e partilhando conhecimentos sobre um tema tão importante como fundamental quer para o desenvolvimento do país em geral, quer para o desenvolvimento regional em particular.

Participação da sociedade civil no desenvolvimento

O Presidente da Câmara Municipal, Engº Joaquim Barreto, realçou na ocasião, que esta iniciativa, inserida no Ciclo de Conferências, é mais um contributo que visa, numa perspectiva cívica e política, informar, formar e sensibilizar a população para temas diversos, em espaços de debate abertos e alargados a todas as áreas e sectores da vida local, assim como, dinâmicos e participados por todos aqueles que desejam e lutam por melhor qualidade de vida e desenvolvimento da sua terra.
Recorde-se que estas conferências, promovidas pela Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto, têm como público alvo a população em geral e em particular os quadros da Autarquia, atendendo à sua valia técnica, social e política e ainda à diversidade dos temas e à qualidade académica dos prelectores.

© 2005 Jornal Ecos de Basto - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital. Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.