Associação Dinamizadora dos Interesses de Basto
Edição de 29-09-2014

Arquivo: Edição de 15-11-2007

SECÇÃO: Reportagem

Um reencontro com a arte e o prazer de bem cavalgar
CENTRO HÍPICO DE CABECEIRAS DE BASTO

ESPAÇO REPLETO DE VIDA E ANIMAÇÃO

foto
São oito horas da manhã. Todos os dias a esta mesma hora, seja de Verão ou de Inverno, já Paulo Mendes, o tratador de cavalos do Centro Hípico de Cabeceiras de Basto, deu a sua volta às cavalariças onde, separadamente, se instalam como residentes 11 cavalos e um jumento, distribuindo-lhes a primeira ração de palha e farinha, gesto este que repete mais duas vezes ao longo do dia, em horários quase regimentais, de início e fim de tarde. Das raças equinas ali expostas, destacam-se, dois garranos, sete lusitanos de sangue puro, dois cruzados, sendo que cinco deles são propriedade do Centro Hípico (três lusitanos, um garrano e um cruzado) e os restantes são particulares.
A azáfama diária inicia-se com a chegada do tratador, antecipadamente anunciada pelo relinchar e patear dos cavalos, logo que estes se apercebem do ruído ainda distante do motociclo em que se desloca. A partir daí e ao longo do dia, assiste-se a um verdadeiro frenesim de vida e movimento em que se envolvem pessoas e equídeos, que só termina quando a noite cai e mergulha no silêncio da natureza.

Centro Hípico
Um espaço vivo
foto

A pouco mais de quinhentos metros do coração da vila, o Centro Hípico de Cabeceiras de Basto goza de uma localização privilegiada, no alto de um monte, em Vinha de Mouros, local aprazível, de sossego e tranquilidade, de amplos horizontes de onde se vislumbram paisagens distantes e, bem perto, por entre o arvoredo, as torres do Mosteiro de S.Miguel de Refojos. Com umas instalações novas, de topo, constitui um excelente atractivo para quem gosta da prática do hipismo, aqui desenvolvido nas suas mais variadas vertentes, seja pelo simples gosto de possuir um cavalo e de o domar, seja pelo interesse em contribuir para o apuramento de raças nacionais ou autóctones, seja pela prática da equitação como actividade desportiva onde se aperfeiçoam as artes do volteio, dos saltos e dressages (harmonia entre cavalo e cavaleiro), ou até, como simples actividade de lazer, em atrelagem ou passeios equestres que possibilitem aos utentes um contacto com a natureza e os animais.
foto

Hipismo é Desporto, é arte, é lazer

Inaugurado em 5 de Agosto de 2006 (ver caixa), com pouco mais de um ano de actividade, o Centro Hípico de Cabeceiras de Basto converteu-se num espaço muito frequentado e visitado, cheio de vida e animação.
Por volta das dez horas da manhã já o zeloso tratador repetiu vezes sem conta as voltas às boxes, desdobrando-se em acções de limpeza do recinto, dos arreios e da higiene das bestas, as quais, a par da ração, não dispensam a limpeza corporal diária e os frequentes tratamentos da pelagem e dos cascos. Para além disso, o tratador ocupa-se em acções de trabalho de guia, ou seja, no simples volteio dos cavalos pelo campo de treinos para lhes desentorpecer os músculos e os manter em forma para os dias de maior esforço em actividades desportivas e aulas de equitação.
foto
Três dias de cada semana há visita ao Centro Hípico do médico veterinário que zela pela saúde dos animais e pelas condições físicas e ambientais das instalações.

Aulas de Equitação

As aulas de Equitação são ministradas por um monitor de equitação e desenvolvem-se às Segundas, Quartas e Sábados. Nesses dias, de manhã, o monitor dedica-se à educação dos animais; de tarde, ministra o ensino da equitação aos alunos em níveis diferenciados, iniciando pelas aulas de volteio em cilhão, depois pelo volteio em sela, passando para o aperfeiçoamento e depois para os saltos e dressages. O número de inscritos tem vindo a aumentar de mês para mês, sendo que, presentemente, ultrapassa as três dezenas, na sua maioria jovens cabeceirenses, mas também dos vizinhos concelhos de Vieira do Minho, Montalegre, Fafe, Mondim de Basto e Amarante.

Equitação Terapêutica

Aulas de equitação terapêutica
Aulas de equitação terapêutica
Paralelamente, a Emunibasto, empresa municipal gestora deste equipamento, está a desenvolver no Centro Hípico uma actividade muito interessante, designada por Equitação Terapêutica, destinada à promoção de benefícios físicos, psíquicos, educacionais e sociais de pessoas portadoras de necessidades especiais, ministrada por uma equipa de monitores, com o apoio de uma técnica superior, a Dr.ª Catarina Ramos, que adquiriu formação específica para o efeito.
A jeito de conclusão, diremos que o Centro Hípico de Cabeceiras de Basto é uma estrutura muito útil e de grande interesse público, muito elogiado por quem visita esta terra. Graças uma boa gestão e exploração dos recursos existentes, os custos do seu funcionamento poderão ser suportados pelos resultados da receita. Por último, refira-se o seu perfeito enquadramento na envolvente ecológica de outros equipamentos existentes naquela área, - como o Centro de Educação Ambiental, a Pista de Manutenção e o Polidesportivo de Vinha de Mouros - espaços públicos que engrandecem o concelho e trazem vida e animação a Cabeceiras, em contradição com os piores presságios de alguns comentadores visionários da nossa praça, convertidos em caçadores de bruxas e de monstros.

© 2005 Jornal Ecos de Basto - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital. Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.