Associação Dinamizadora dos Interesses de Basto
Edição de 29-09-2014

Arquivo: Edição de 15-08-2007

SECÇÃO: Região

Para combater os incêndios florestais

Os Bombeiros Voluntários Cabeceirenses foram os primeiros a receber os telemóveis
Os Bombeiros Voluntários Cabeceirenses foram os primeiros a receber os telemóveis
Mútua de Basto distribui telemóveis aos bombeiros e população

A Mútua de Basto, os Bombeiros Voluntários Cabeceirenses e a Junta de Freguesia de Gondiães procederam recentemente à assinatura de protocolos de colaboração tendo em vista a prevenção e o combate aos fogos florestais. Uma ideia inovadora, elogiada pelo Governador Civil do Distrito de Braga, que permite a distribuição de telemóveis pelos diversos agentes locais, através dos quais é possível comunicar gratuitamente. Uma iniciativa que faz jus ao lema «Portugal sem fogos depende de todos».
Potenciar a utilização dos telemóveis a favor da floresta, dotando o maior número de cidadãos deste equipamento sem custo para o utilizar, permitindo desta forma uma melhor comunicação, informação e sensibilização para colaborar com as autoridades na tarefa da protecção da floresta, foi o objectivo que esteve subjacente à assinatura de um acordo que a Associação Mútua de Basto/Norte, estabeleceu com a TMN, permitindo a distribuição gratuita de telemóveis aos associados desta colectividade. Uma ideia inovadora que rapidamente foi posta em prática com a assinatura de um protocolo estrategicamente bem concebido na prevenção e combate a fogos florestais estabelecido com os Bombeiros Voluntários Cabeceirenses, a 3 de Agosto.
O Governador Civil enalteceu a iniciativa da Mútua de Basto, pioneira na região
O Governador Civil enalteceu a iniciativa da Mútua de Basto, pioneira na região
Esta iniciativa, que decorreu no quartel dos BVC, garantiu a distribuição de aparelhos telemóveis a todos os membros da corporação para que possam comunicar gratuitamente entre si e também com os 12 mil associados desta colectividade, foi prontamente elogiada pelo Governador Civil de Braga que não pode deixar de se associar a este projecto de grande dimensão.
Na ocasião, Joaquim Barreto considerou este acordo como um acto de solidariedade e de reconhecimento do trabalho dos bombeiros, verdadeiros actores no processo de combate aos incêndios e defesa da floresta. Tendo em conta que a Mútua de Basto é uma associação de desenvolvimento rural, sem fins lucrativos e de utilidade pública, e uma vez que grande parte dos associados tem ligação à floresta, faz todo o sentido que este protocolo seja extensível aos Bombeiros Cabeceirenses, «importantes parceiros na protecção da floresta».
Na ocasião, o presidente da Mútua considerou que este foi o primeiro de vários acordos a estabelecer com autarquias, associações e com a própria população no sentido de distribuir mais telemóveis, estabelecendo uma grande rede de contactos, com o objectivo comum de defender e preservar a floresta. A propósito o autarca lembrou que a floresta é fundamental no equilíbrio ambiental, além de ser também uma fonte de lazer, de riqueza e sustento para muitas famílias. Deste modo, os telemóveis vão permitir uma informação mais fácil, mais eficaz e, consequentemente, facilitar a prevenção e o combate aos fogos florestais, disse Joaquim Barreto.
A freguesia de Gondiães foi a primeira autarquia a celebrar o protocolo com a Mútua de Basto
A freguesia de Gondiães foi a primeira autarquia a celebrar o protocolo com a Mútua de Basto

Um acto de grande alcance

Por sua vez, Jorge Machado, Presidente da Direcção dos Bombeiros Voluntários Cabeceirenses, agradeceu a confiança depositada pela Mútua de Basto. Considerando na oportunidade, este protocolo como um acto simples mas de grande significado, acreditando que com os telemóveis ligados entre mais de 12 mil pessoas, os bombeiros estarão certamente melhor preparados para um combate mais rápido e eficaz. Referiu ainda que os meios que a corporação tem ao seu dispor e a gente nova que integra, são ingredientes que fazem com que os bombeiros encarem esta fase crítica com mais confiança.

«Portugal sem fogos depende de todos»

No Samão, a população pode ter agora um papel mais activo na prevenção dos fogos florestais
No Samão, a população pode ter agora um papel mais activo na prevenção dos fogos florestais
O Governador Civil do Distrito de Braga, Dr. Fernando Moniz, esteve presente na cerimónia que deu início ao lançamento deste projecto da Mútua de Basto, referindo na ocasião, que este acordo vai de encontro ao slogan adoptado de que «Portugal sem fogos depende de todos». Para o representante do Governo no distrito de Braga, o acordo pioneiro celebrado entre a TMN e a Mútua de Basto e, futuramente alargado às associações, autarquias e populações, cria condições propícias à prevenção e combate aos incêndios.
Reconhecendo que as condições climatéricas têm sido favoráveis, este governante não tem dúvidas de que a eficácia no combate também tem sido fundamental para a pequena percentagem de área ardida. «Já ocorreram 500 fogos e temos apenas 200 hectares de área ardida. No ano passado, por esta altura, já tínhamos mais de 4000 hectares ardidos». Na sua intervenção salientou ainda o facto de Cabeceiras de Basto revelar um dos melhores desempenhos com o menor registo de área ardida, elogiou o Governador, lembrando que o fogo é um inimigo perigoso, por isso, é preciso que todos estejam envolvidos, primeiro para que não comece, e se começar, para que seja combatido com rapidez e eficácia.

Para alertar os Bombeiros
População de Gondiães recebeu telemóveis

O projecto que a Mútua de Basto pôs em prática no dia 3 de Agosto prosseguiu, desta feita no dia 10 do corrente na freguesia de Gondiães, uma das mais sertanejas do concelho de Cabeceiras. Neste âmbito a população dos lugares do Samão, Torneiro e Gondiães recebeu das mãos do Presidente da Mútua de Basto, Eng.º Joaquim Barreto, cerca de sessenta telemóveis com o intuito de poder comunicar gratuitamente com os bombeiros da região.
Uma parceria entre vários agentes que facilita a comunicação e que no entender do dirigente «quanto mais rápida for a operação, mais rápido vai ser combatido o fogo. O aparelho de telemóvel permite assim uma informação mais rápida e mais eficaz no combate a este flagelo», afirmou Joaquim Barreto.
A freguesia de Gondiães foi a primeira a receber os telemóveis pelo facto de se tratar da localidade com maior mancha florestal de Cabeceiras de Basto e uma das maiores do distrito. O presidente da Mútua referiu ainda que quem vive nestes locais são verdadeiros “guardiões da floresta”, e com este gesto, estamos também a manifestar o reconhecimento e apreço por aqueles que “teimam” em viver nestas terras de difícil acesso.
Esta iniciativa foi igualmente do agrado dos autarcas da freguesia que desta forma dispõem de meios que permitem facilitar a comunicação e alertar para a deflagração de incêndios florestais, que podem ser colmatados caso haja uma intervenção rápida e eficaz por parte de todos quantos vivem e sentem a floresta.
Vítor Silva, comercial da TMN, salientou que esta medida vem de encontro ao lema adoptado que consiste em estar “mais perto do que é importante” e o mais importante é neste caso a protecção da floresta. Desta forma a TMN, associa-se a uma causa importante que é protecção do ambiente e do meio florestal, e como tal, «este dia fica marcado como um dos mais importantes da empresa”, referiu.
De referir ainda que até ao momento foram entregues cerca de 170 telemóveis, seguindo-se a freguesia de Vilar de Cunhas e posteriormente, outras freguesias do concelho.

© 2005 Jornal Ecos de Basto - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital. Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.