Associação Dinamizadora dos Interesses de Basto
Edição de 29-09-2014

Arquivo: Edição de 31-07-2007

SECÇÃO: Região

“A Sexualidade, Conceitos e Preconceitos – Ontem, Hoje e Amanhã”

foto
O Professor Doutor Júlio Machado Vaz deslocou-se, no dia 20 de Julho, ao Auditório Municipal de Cabeceiras de Basto para falar ao numeroso público presente sobre o tema “A Sexualidade, Conceitos e Preconceitos – Ontem, Hoje e Amanhã”. Uma iniciativa inserida no Ciclo de Conferências Políticas de Futuro que a Autarquia está a levar a cabo e que vai na 15ª sessão, abordando temas tão distintos como o ordenamento, o turismo, o voluntariado, o desenvolvimento económico, entre outros. Esta Conferência esteve igualmente inserida na Festa da Saúde, da Solidariedade e do Idoso que decorreu de 20 a 22 de Julho, nesta vila.
Na ocasião, e após a apresentação do vasto currículo do orador convidado, o Presidente da Câmara, Joaquim Barreto agradeceu a todos os que ali se deslocaram para ouvir falar este médico de especialidade psiquiatra, figura bem conhecida do grande público, que considerou ser “uma honra ter entre nós” para explanar um tema tão actual como interessante.
Doutorado em psicologia médica em 1988, o professor Doutor Júlio Machado Vaz, que desempenhou ao longo da sua vida diversos cargos, publicou diversos livros, participou em vários programas de rádio e televisão, começou por reduzir a sua intervenção aos conceitos e preconceitos que envolvem hoje, como na antiguidade, a sexualidade. Há 30 anos a falar sobre sexologia, o Prof. Júlio Machado Vaz, abordou o tema, diferenciando a sexualidade, da sexologia, palavras que não são contemporâneas em termos de nascimento. Aproveitou a ocasião para aflorar a terminologia sexo fraco e sexo forte.

Conceitos e Preconceitos

Este médico especialista falou também dos preconceitos que envolvem o tema. Realçou o facto de haver muitos preconceitos em relação à sexualidade dos mais jovens, mas também da sua existência em relação à sexualidade dos mais velhos, o facto que actualmente dificulta o campo de estudo do sexólogo que foi «programado» para estar mais atento às camadas jovens, quando na realidade os mais velhos apresentam hoje realidades diferentes e complexas. Esta hipnose pelos mais jovens impediu-nos [sexólogos] de olhar para a sexualidade mais envelhecida onde actualmente se registam problemas gravíssimos, pelas razões mais diversas. É que se a adolescência invadiu a infância, a adolescência também invadiu a idade adulta, constatou.

A sexualidade é uma descoberta que deve ser feita por degraus

Quanto à juventude, o Professor Doutor Júlio Machado Vaz, continua, a achar que a sexualidade é algo que se descobre, por degraus. Normalmente, os adolescentes que entram de mergulho em actividades sexuais muito precoces (12, 13, 14 anos), normalmente fazem-no não há procura do prazer sexual, mas à procura de outras coisas, tais como os afectos.
Novas realidades que exigem novas atitudes, conclui o Professor Doutor Júlio Machado Vaz que apesar dos seus conhecimentos e dotes de comunicação, passou a palavra ao numeroso público presente que retorquiu com várias perguntas que animaram o debate, e fizeram desta conferência uma verdadeira lição para os jovens e os menos jovens.

© 2005 Jornal Ecos de Basto - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital. Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.