Associação Dinamizadora dos Interesses de Basto
Edição de 29-09-2014

Arquivo: Edição de 31-05-2007

SECÇÃO: Região

Breves


150 Idosos Cabeceirenses em Passeio

Uma das iniciativas constantes do Plano de Actividades dos Espaços de Convívio e Lazer das freguesias era uma viagem a Guimarães, com passagem pelo Paço dos Duques de Bragança, pelo Castelo de Guimarães e visita ao Santuário da Penha. Foi o que aconteceu no passado dia 29 de Maio. Cento e cinquenta idosos dos Espaços de Convívio de Alvite, Faia, Arco de Baúlhe, Vila Nune, Passos, Painzela, Outeiro, Refojos, Pedraça e Abadim, encheram quatro autocarros e em animada excursão, com muita cantoria à mistura, com convém nestas andanças, lá seguiram viagem com destino ao berço da nacionalidade, a cidade de Guimarães. O almoço, um abastado pic-nic, teve lugar na Penha. Infelizmente o tempo não ajudou, mas nem por isso a boa disposição, o humor e a alegria deixaram de marcar presença neste passeio que a Câmara Municipal cabeceirense lhes proporcionou.


Visita ao Mosteiro de S. Miguel de Refojos

No passado dia 22 de Maio, um grupo de 45 idosos, provenientes da região do Grande Porto, deslocou-se a Cabeceiras de Basto para visitar a Igreja e o Mosteiro de S. Miguel de Refojos. Organizada pela Cooperativa de Turismo de Trás-os-Montes, de Vila Real, esta visita foi acompanhada pela técnica da Emunibasto, Dra. Fátima Oliveira, que pode informar e explicar aos visitantes a história do Mosteiro. No espaço de um mês é já o segundo grupo de turistas que esta Cooperativa traz a Cabeceiras de Basto.


Museu das Terras de Basto celebrou o 3º aniversário

O projecto museológico foi apresentado em Maio de 2003 à Rede Nacional de Museus. A Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto efectuou as obras de recuperação e reabilitação dos edifícios e de todo o espaço envolvente, nomeadamente a linha-férrea e instalou o Museu das Terras de Basto, na antiga estação do caminho de ferro do Arco de Baúlhe. A intervenção representou um investimento de cerca de 200 mil euros. Em 23 de Maio de 2004, o Centro Documental e o Museu abriu ao público, tendo a autarquia afectado os recursos humanos necessários e suficientes, os quais têm permitido a sua abertura de terça-feira a domingo, com entradas gratuitas. Desde a sua abertura o Museu recebeu 13.500 visitantes. Nestes três anos de vida o Museu recebeu já uma Menção Honrosa para Melhor Museu Português, em 2005. Recentemente foi também possível assegurar a sua continuidade como Museu de cariz regional e integrando o Núcleo Museológico Ferroviário, através da celebração de um protocolo de Gestão Partilhada daquele Núcleo, celebrado com a fundação do Museu Nacional Ferroviário. No passado dia 23 celebrou o seu terceiro aniversário, por isso, dizemos: Parabéns ao Museu das Terras de Basto.

© 2005 Jornal Ecos de Basto - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital. Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.