Associação Dinamizadora dos Interesses de Basto
Edição de 29-09-2014

Arquivo: Edição de 30-04-2007

SECÇÃO: Espaço Europeu

Relatório da Comissão Europeia
Produtos perigosos aumentam

A maior parte das queixas vem da China. Relatório da Comissão Europeia alerta para aumento do número de notificações.

Alguns dos produtos considerados perigosos pela Comissão Europeia
Alguns dos produtos considerados perigosos pela Comissão Europeia
O número de produtos, nomeadamente brinquedos e aparelhos eléctricos que representam um risco sério para a saúde e a segurança do consumidor aumentou. Esta é a conclusão do Relatório Anual sobre produtos de consumo perigosos (RAPEX), publicado pela Comissão Europeia.
A China foi apontada como país de origem de quase metade de todas as queixas (440 notificações, 48%). As outras notificações provêem da Alemanha (144 notificações, 16%), Hungria (140 notificações, 15%), Grécia (98 notificações, 11%), Reino Unido (92 notificações, 10%) e Espanha (79 notificações, 9%).
De acordo com a Comissão Europeia, o número de queixas tem crescido muito durante os últimos anos. No segundo ano após a entrada em vigor das normas revistas que regulam a segurança dos produtos de consumo não alimentares na Europa, o número de notificações relativas aos produtos que representam um risco sério aumentou para mais do dobro, passando de 388 em 2004 para 924 em 2006. Neste ano, registou-se um aumento de 32%, em relação a 2005, das notificações respeitante a riscos graves. Mais de 40% de todas as queixas devem-se a iniciativas das próprias empresas – um aumento considerável de ano para ano, o que revela um indicador claro da consciencialização adquirida pelos operadores económicos europeus relativamente à segurança.

Brinquedos e aparelhos eléctricos com mais queixas
Entre os produtos que mais vezes foram alvo de queixa estão os:
- brinquedos (221 notificações, 24%),
- aparelhos eléctricos (174 notificações, 19%),
- veículos a motor (126 notificações, 14%),
- equipamento de iluminação (98 notificações, 11%),
- cosméticos (48 notificações, 5%).
Brinquedos, aparelhos eléctricos e veículos a motor representaram, por si só, mais de metade das notificações em 2006, o que corresponde aos resultados do ano anterior. A principal diferença é que, pela primeira vez, os brinquedos ultrapassaram os aparelhos eléctricos como os produtos mais objecto de queixas por parte das empresas.

Riscos mais frequentes
- lesões (274 notificações, 25%),
- choque eléctrico (270 notificações, 24%),
- risco de incêndio/queimaduras (194 notificações, 18%),
- asfixia/sufocamento (157 notificações, 14%),
- risco químico (95 notificações, 9%)

© 2005 Jornal Ecos de Basto - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital. Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.