Associação Dinamizadora dos Interesses de Basto
Edição de 29-09-2014

SECÇÃO: Desporto

S. Nicolau regressa ao futebol sénior

Joaquim Pinto, duas décadas à frente do clube
Joaquim Pinto, duas décadas à frente do clube
O Grupo Desportivo e Cultural de S. Nicolau está de regresso à competição sénior.
Após um interregno devido às limitações financeiras do Clube, volta esta época [2014-2015] à competição da AF Braga. Sem grandes ousadias, o principal objetivo do Clube é que este abandone os últimos lugares onde militou durante épocas seguidas.
Plantel 2014/2015
Plantel 2014/2015
O Ecos de Basto foi ouvir o presidente do Desportivo de S. Nicolau, Joaquim Pinto e o seu treinador Gonçalo Almeida Barreto Pereira, inteirando-se dos seus anseios para a presente época desportiva e que aqui partilhamos com os nossos leitores.

Equipa técnica do S. Nicolau
Equipa técnica do S. Nicolau

Joaquim Pinto: Presidente da Associação Cultural
e Desportiva de S. Nicolau de Basto

Fundador do clube há 34 anos e presidente do clube há cerca de 20, Joaquim Pinto, explicou ao Ecos de Basto porque regressou o futebol sénior a este emblema e quais os objetivos para a nova temporada.
“Sentimos que havia uma necessidade de fazer regressar o futebol sénior.”
Ecos de Basto: O que levou o Clube a fazer uma pausa e agora regressar?
Joaquim Pinto – Parámos porque as dificuldades financeiras era muitas. Voltamos porque agora estamos ligeiramente melhor.
EB: Na época passada conseguiram atingir os objetivos esperados com a equipa das camadas jovens? Foram esses resultados que o levaram à for-mação, novamente, da equipa sénior?
JP: Não. Ficamos em último lugar. Esses resultados não tiveram nada a ver com a nossa decisão de voltar. Sentimos que havia uma necessidade de fazer regressar o futebol sénior.
EB: Gonçalo Pereira foi a aposta da direção para o co-mando técnico. O que é que pediram a este treinador?
JP: O que pedimos foi que faça o melhor resultado possível.
EB: Que mensagem gostaria de deixar aos sócios e adeptos do S. Nicolau?
JP: Que nos ajudem nesta nova fase.
EB: Fale-nos da equipa. É toda constituída por elementos só do concelho ou tem atletas de fora?
JP: A maioria são jovens, quase todos, do concelho. Não está totalmente completa, ainda estamos a fazer uns contactos.
EB: Há condições financeiras e infraestruturas suficientes para aguentar a nova época?
JP: As condições financeiras são fracas. E as condições do estádio também são.
EB: Qual é o objetivo para esta época?
JP: O objetivo é fazermos uma boa época dentro das nossas possibilidades e sairmos do último lugar. É essa a nossa praga.


Gonçalo Pereira: Treinador

Natural de Cabeceiras de Bas-to e com 25 anos, Gonçalo Almeida Barreto Pereira, foi o treinador escolhido para enfrentar o regresso do Desportivo de S. Nicolau ao futebol sénior da AF Braga e retirar o Clube dos derradeiros lugares do campeonato onde se manteve diversas épocas.
Um jovem treinador, bem conhecedor do futebol concelhio. Ao longo da sua ‘carreira’ desportiva já colaborou com o Desportivo do Arco de Baúlhe, com o Atlético Cabeceirense e com o Grupo Desportivo de Cavez.
Agora no Desportivo de S. Nicolau pretende treinar esta mo-desta equipa com a determinação, o trabalho e o afinco que lhe são característicos e elevar o clube.
Apaixonado pela modalidade, Gonçalo Pereira, está pronto para enfrentar as dificuldades financeiras, mas também a vontade de vencer que os jogadores que constituem esta equipa demonstram ter.
Ecos de Basto: O que o levou a aceitar este cargo?
Gonçalo Pereira: Foi o desafio proposto pela direção, visto que há alguns anos que treinava como treinador adjunto e então aceitei o desafio de treinar a equipa sénior. Decidi arriscar numa equipa modesta para tentar elevar.
EB: Quais são as principais dificuldades desta equipa?
GP: Acho que pelo seu histórico consegui trazer jogadores com muita qualidade. Na nossa região há jogadores com muito boa qualidade que por vezes não é bem aproveitada. Este ano decidimos apostar em muitos joga-dores da nossa terra, mas o principal desafio são mesmo as questões financeiras e a possibilidade de trazer jogadores com mais potencialidades para este clube.
EB: Em relação às dificuldades financeiras…
GP: São bastantes, visto que as empresas da própria terra não apoiam. Esperamos mudar isso este ano.
EB: Tem os meios necessários para obter os resultados que pretende?
GP: É uma pergunta ingrata porque nós só podemos trabalhar com o que temos.
Mas dentro das possibilidades que temos vamos tentar fazer os melhores resultados possíveis.
EB: Neste início da época como encontrou o clube?
GP: No charco. Sem um euro. Neste momento consegue ter alguma estabilidade com o apoio da Câmara Municipal. Sem esse apoio nada seria possível. E também por esforço dos diretores que conseguem equilibrar as con-tas.
EB: O plantel é constituído por quantos elementos?
GP: Por 23 elementos com idades entre os 17 e os 34. Todos do concelho.
EB: Quais são as suas expectativas para esta época?
GP: Fazer um campeonato equilibrado e não ficar em último lugar que foi o objetivo principal que tracei neste desafio.
Este ano não queremos ficar em último. Apontamos para os 10 primeiros lugares.

















© 2005 Jornal Ecos de Basto - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital. Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.